06/04/2021 às 07h48min - Atualizada em 06/04/2021 às 07h48min

Engenheiro Elton Cunha Doná morre de câncer após cinco anos de luta contra a doença

Além de ter assinado diversos edifícios e ter contribuído para a conservação do patrimônio cultural e natural de Ponta Grossa, Doná foi fundador do Pops Café

Da redação
Foto: Reprodução / Facebook
Morreu nesta segunda-feira (5), aos 69 anos, o engenheiro civil ponta-grossense Elton Cunha Doná, em decorrência de um câncer, após cinco anos de luta contra a doença. Doná estava internado no Hospital Geral Unimed (HGU) e será sepultado às 15h30 desta terça-feira (6), no cemitério São José. O engenheiro deixa a esposa, Maria Lúcia Nasseh, e os filhos Elinton, Eduardo e Eloise.

Formado pela Faculdade de Engenharia da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Bauru (SP), Doná era sócio e diretor técnico da Projecon Engenharia Civil e deu revelantes contribuições para o município. Além de ter lecionado no curso de Engenharia Civil da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), o engenheiro assinou, entre outros, os edifícios Araguaia (rua Penteado Almeida), Torre de Maggiore (rua Nestor Guimarães), Eliane (Baludíno Taques) e Palladium (rua Senador Pinheiro Machado). Fez parte ainda do Conselho Federal de Engenharia e Arquitetura (Confea), do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea) e da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Ponta Grossa (AEAPG).

Conservação

Doná também teve uma destacada atuação em prol da proteção do patrimônio cultural e natural de Ponta Grossa, chegando a ser agraciado com o título de ‘Cidadão Amigo do Patrimônio’, em 2016, pela Associação de Preservação do Patrimônio Cultural e Natural (APPAC).  A nomeação ocorreu, em grande parte, por conta de sua atuação junto ao Conselho Municipal de Patrimônio Cultural (COMPAC) e da preservação das antigas instalações da Cerâmica São Sebastião, localizada no distrito de Guaragi. Adquirida pelo empresário no ano de 2002, a propriedade, fundada na década de 1950, preserva parte importante da história da indústria local.

Pops Café 

Visionário, o engenheiro também foi responsável por trazer a Ponta Grossa a primeira máquina de café expresso do município. Na mesma época, ele soube de um imóvel à venda na rua XV de Novembro, onde funcionava o antigo Bar do Maluf, e adquiriu o local, fundando ali o Pops Café, importante ponto de encontro da sociedade ponta-grossense, posteriormente vendido a outro proprietário. 

De 2015 em diante, Doná atuou ainda como provedor da Santa Casa de Misericórdia, em Ponta Grossa.

Notícias Relacionadas »