10/04/2021 às 18h33min - Atualizada em 10/04/2021 às 18h33min

​AstraZeneca: “Trombose ocorre em casos muito isolados”, explica vice-reitor da UEPG; assista

Recomendação do professor é tomar a vacina e observar eventuais reações

Da redação
O vice-reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Everson Krum, usou as redes sociais neste sábado (10) para abordar um assunto que está ganhando espaço na mídia e deixando o público inquieto: a possibilidade de a vacina AstraZeneca (Oxford/Fiocruz) causar trombose.

Recorrendo à sua experiência como professor de Hematologia, Krum publicou um vídeo em que comenta sobre a formação de uma trombose. Junto, ele publicou um breve texto ressaltando que a possibilidade de uma trombose é muito menor do que o benefício ofertado pela vacina. 

“Os estudos mostram que casos do tipo podem acontecer em 0,0006 % dos pacientes vacinados, ou seja, seis casos em 1 milhão de pessoas vacinadas”, observa Krum, acrescentando que a recomendação é tomar a vacina e observar eventuais reações, como formações de coágulo no corpo. 

Trombose 

A trombose consiste na formação de um coágulo sanguíneo em uma ou mais veias na parte inferior do corpo, geralmente nas pernas. Os sintomas incluem: inchaço na região em que se formou o coágulo; vermelhidão e calor no local afetado; dor ou sensação de peso; e rigidez da musculatura. Tem cura na maioria dos casos. 

Confira mais detalhes sobre a relação entre trombose e COVID-19 no vídeo publicado por Krum:



Notícias Relacionadas »