21/04/2021 às 21h05min - Atualizada em 21/04/2021 às 21h05min

VÍDEO: Educadora do PR rebate declarações de Ricardo Barros: "Aberração"

Vice-presidente da CNTE indica ainda que Barros "atacou" a educação pública para defender os interesses da educação privada

Da redação
Foto: Reprodução
A vice-presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Marlei Fernandes, rebateu nesta quarta-feira (21) as polêmicas declarações do deputado federal Ricardo Barros (Progressistas). Na última terça-feira (19), o líder do Governo Bolsonaro na Câmara dos Deputados disse, em entrevista à 'CNN Brasil', que "só os professores não querem trabalhar na pandemia".

Classificando a declaração como "mais um violento ataque à educação pública", a educadora afirma que o parlamentar não conhece a realidade da educação no Brasil. "Isso é negar o que os profissionais da educação estão fazendo a despeito do Governo, que só retira direitos, corta recursos da educação e não dá nenhum instrumento para os profissionais trabalharem", aponta. 

Em vídeo publicado nas redes sociais da entidade, Marlei observa que os educadores estão trabalhando o "triplo" e com os próprios equipamentos em suas casas. A vice-presidente da entidade indica também que Barros atacou a educação pública para defender os interesses da educação privada. "Os funcionários das escolas estão sendo convocados para irem trabalhar sem que haja necessidade, colocando a vida em risco. Ora, deputado, quem de fato não conhece a educação pública, e prima pela educação privada neste momento, ataca a educação pública dessa forma."

A educadora também falou sobre a aprovação, por parte do Congresso Nacional, do Projeto de Lei (PL) 5595 / 2020, que classifica a educação como atividade essencial e, desse modo, permite a estados e municípios voltarem às aulas presenciais. "Só poderíamos ter um retorno total de todos os serviços com 70% da população vacinada. Assim que tivermos as condições certas e objetivas de retorno, iremos retornar", argumenta Marlei, acrescentando que representantes da categoria vão ao Senado Federal "derrotar" o PL.   

Declaração 

O líder do Governo Bolsonaro na Câmara criticou na última terça-feira (19) a classe de professores ao afirmar que os docentes "não querem trabalhar". "É absurdo a forma como estamos permitindo que os professores causem tantos danos às nossas crianças na continuidade da sua formação. O professor não que se modernizar, não quer se atualizar. Já passou no concurso, está esperando se aposentar, não quer aprender mais nada", disse Barros em entrevista à CNN Brasil. 

O parlamentar comentou que alguns estados já reabriram as escolas públicas e particulares, e que os professores voltaram a dar aulas. Portanto, não teria motivo para todos os docentes não voltarem a ministrar as disciplina. “Infelizmente, o Brasil foi abduzido pelas corporações. Não tem nenhuma razão para o professor não dar aula. O profissional de saúde está indo trabalhar, o profissional do transporte está indo trabalhar, o profissional da segurança está indo trabalhar, o pessoal do comércio está indo trabalhar, só professor que não quer trabalhar”, afirmou. 

Assista ao pronunciamento da vice-presidente do CNTE: 



Notícias Relacionadas »