23/04/2021 às 10h27min - Atualizada em 23/04/2021 às 10h27min

UEPG lamenta morte de engenheiro ponta-grossense

Alyson Ernani Gomes graduou-se pela instituição em 2017 e atuava em Foz do Iguaçu

Da assessoria
Foto: Divulgação
A Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) lamenta o falecimento de Alyson Ernani Gomes, egresso do curso de Engenharia Civil. Alyson graduou-se pela instituição em 2017 e atuava em Foz do Iguaçu, na execução de obras pré-fabricadas. O engenheiro é uma das vítimas do desabamento de um prédio em obra, na manhã desta quinta-feira (22). Ele estava trabalhando quando o acidente aconteceu.

Alyson tinha muitos talentos e uma carreira notável – era fluente em inglês e espanhol, possuía especialização em concreto protendido pelo Instituto Nacional de Estruturas Protendidas (Inaep), estagiou na Águia Sistemas de Armazenagem e na Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar). Sua carreira após os estágios começou em Ciudad Del Este, na Flytec Computers.

O engenheiro também era filho da egressa da UEPG Mona Lisa Simionatto. Sua relação com a Universidade não se restringiu apenas ao campo acadêmico, Alyson levou o curso para sua vida pessoal e o amor. Casou-se e sua professora, Maria Salete Vaz, tornou-se também sua sogra. “Estou muito triste! A dor é imensurável! Alyson era especial e adorava o que fazia. Conquistou o coração da minha filha e de todos nós. Egresso do curso de Engenharia Civil, do nosso setor, falava com muito orgulho da UEPG! Lamento muito a sua partida!”, declara Salete.

A amizade e sorriso fácil de Alyson ficaram marcados na memória do seu professor e prefeito do campus, Eduardo Pereira. “Fui professor dele na engenharia civil e ele foi meu professor de inglês. Desta troca surgiu uma amizade. Estava feliz na vida pessoal e profissional, como ele mesmo dizia, estava curtindo a engenharia. Uma das últimas mensagens dele me dizia que estava com saudades das nossas conversas. Infelizmente, este trágico acidente interrompe precocemente todos estes planos e nossas conversas ficaram para um pouco mais tarde”, afirma Eduardo, que ainda mantém a certeza do reencontro.

Claiton Gobel também teve sua vida marcada pela parceria e amizade com Alyson. Ele lembra que o engenheiro estava sempre sorrindo, alegre e colocando todo mundo para cima. Estar perto de Alyson nunca era um momento triste. “Sempre era o primeiro a se manifestar para reunir os amigos, jogar pôquer e conversar sobre a vida. Basquete e pôquer eram duas de suas paixões, assim como a engenharia”. Claiton coleciona memórias com o amigo, como as incontáveis terças de pôquer e algumas noites de estudo, “mas a mais marcante, sem sombra de dúvidas, foi quando soubemos a nota de exame de concreto armado, corremos gritando pelo corredor do Bloco E, um ao encontro do outro, para nos abraçar, comemorar e pular de alegria, sabendo que nos formaríamos dali duas semanas”.  Para ele, o Alyson vivia a vida intensamente, colecionava histórias marcantes e divertidas. “Sempre dizia que amava os amigos, e nós o amamos também. Eu tenho a certeza que agora temos uma estrela de capacete branco olhando por nós no céu. Te amo, Aly!”.

Por redes sociais, o Centro Acadêmico de Engenharia Civil lamentou a partida precoce do colega. “É com muita dor e pesar que fazemos essa publicação em memória do engenheiro civil Alyson Ernani Gomes. Deixamos nossa homenagem e nossos sinceros sentimentos a todos os amigos e familiares, que recebam conforto com o decorrer do tempo e guardem as boas memórias deixadas por ele. Com certeza essa é uma grande perda para todos nós!”.

“É difícil colocar em palavras a alegria que o Alyson sempre trazia para os mais diversos momentos. Não importava quando, fosse em uma festa, antes de uma prova, após uma nota boa ou ruim, o Alyson encontrava um meio de trazer alegria para os que estavam ao seu redor”, conta o amigo Gabriel Salvalagio Gumy. Ele agradece por colecionar diversas memórias com Alyson. “Lembro com clareza do momento em que conheci o Alyson, e o primeiro pensamento foi 'que piá arrogante e chato'. Mal sabia eu que o Alyson viria a se tornar um dos meus amigos mais próximos e confidentes”. De todas as nossas noites de pôquer, Gabriel lembra da que Alyson o ligou de madrugada pedindo ajuda para dar partida no carro. “Fui correndo ao socorro, pois sabia que ele faria o mesmo por mim. Nosso amigo jamais será esquecido, entre tantas coisas, pelo seu astral, humor (algumas vezes questionável) e, sem sombra de dúvidas, o amor pela profissão. Alyson, jamais vamos deixar de te amar”.

O velório ocorre às 11h de hoje (23), na Capela São José, e o sepultamento será às 16h no Cemitério São José. A UEPG presta solidariedade aos familiares, amigos e colegas pela partida precoce de Alyson.

Notícias Relacionadas »