23/04/2021 às 10h40min - Atualizada em 23/04/2021 às 10h40min

​Sedentários tendem a desenvolver formas mais graves da COVID-19, aponta estudo

Quase 50 mil pacientes positivados foram analisados no levantamento

Por Tribuna
Foto: Freepik
Uma pesquisa com quase 50 mil pacientes adultos com diagnóstico de COVID-19 mostrou que inativos fisicamente tiveram maior risco de hospitalização, admissão na UTI e morte após o diagnóstico da doença pelo novo coronavírus do que quem realiza alguma atividade física, mesmo que pouca.

Ao analisar 48.440 pacientes adultos com diagnóstico de COVID-19 de janeiro a outubro de 2020, pesquisadores norte-americanos do Departamento de Pesquisa e Avaliação da Kaiser Permanent Southern California classificaram como inativos aqueles que faziam de zero a dez minutos por semana de atividades físicas, os que faziam alguma atividade entre 11 e 149 minutos semanais, e aqueles que atendiam consistentemente às diretrizes da Organização Mundial de Saúde, os que faziam 150 minutos ou mais semanais de atividades físicas.

Comparados aos mais ativos, o estudo mostrou que os inativos tiveram 226% mais chances de serem hospitalizados, 173% mais chances de serem internados em uma unidade de terapia intensiva (UTI) e 149% mais chance de morrer.

Leia a matéria completa aqui

Notícias Relacionadas »