24/04/2021 às 09h53min - Atualizada em 24/04/2021 às 09h53min

Número de empresas abertas no Paraná cresce 9,8% no primeiro trimestre

Números são uma amostra da retomada da economia e se somam aos bons índices de geração de emprego com carteira assinada

Da assessoria
Foto: Divulgação / AEN
O saldo de empresas constituídas entre janeiro e março de 2021 foi 9,8% superior ao mesmo período do ano passado, segundo levantamento divulgado nesta sexta-feira (23) pela Jucepar, a Junta Comercial do Paraná. Neste trimestre, foram 49.047 de saldo, resultado de 73.236 novas constituições e 24.189 baixas. O saldo do primeiro trimestre de 2020 também foi positivo em 44.671. Os números refletem o aumento da abertura de empresas, que foi 16,9% superior a 2020. 

Os três primeiros meses de 2021 foram melhores do que qualquer mês do ano passado nesse recorte. As MEIs dominaram as aberturas em 2021, representando 76,9% do total de 73.236. Os números dão uma amostra da retomada da economia e se somam aos bons índices de geração de emprego com carteira assinada.

Dos primeiros meses do ano, janeiro e fevereiro que foram os melhores meses da série histórica do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, o Caged. Marcos Rigoni, presidente da Junta Comercial, afirmou ser um ano desafiador para a economia, mas os paranaenses têm apostado cada vez mais em negócios inovadores. "Há um bom ambiente para o desenvolvimento de novos negócios e a Junta Comercial está pronta para auxiliar a população no processo de constituição rápida e regulamentação dos negócios", afirma.

Rigoni também destacou que o Paraná voltou a aparecer entre os estados onde se abre uma empresa de forma mais rápida no país. Segundo o Redesim, mapeamento dinâmico realizado pela Receita Federal, o trabalho da Junta Comercial do Paraná permite abertura em apenas um dia e 14 horas, bem à frente da média nacional, de 3 dias e 9 horas. 

Esse bom momento da abertura de empresas vem sendo detectado desde 2019 pela Junta Comercial. Naquele ano, foram 111 mil empresas de saldo. Em 2020, mesmo com todos os reflexos da pandemia sobre o mercado de trabalho e as relações comerciais, foram 159 mil, número motivado principalmente pela agilidade do órgão e as políticas de estímulo à desburocratização. 

Para aumentar a solidez das empresas paranaenses, o Governo do Estado mandou neste mês para a Assembleia Legislativa do Paraná o projeto de lei que institui o auxílio emergencial para microempreendedores individuais e microempresas cadastradas em grupos de atividades econômicas específicos. Os recursos serão provenientes do Fundo Estadual de Combate à Pobreza do Paraná. Microempresas de oito segmentos cadastradas no Simples Nacional e registradas até 31 de março de 2021 receberão mil reais. Já MEIs de oito grupos terão direito a 500 reais. O investimento por parte do Governo do Paraná será de cerca de 60 milhões de reais. Após a aprovação pela Assembleia Legislativa, o Poder Executivo regulamentará as formas para cadastro, solicitação e pagamento do auxílio emergencial. As pessoas jurídicas terão o prazo de 60 dias para adesão ao programa, a partir da publicação do Decreto de Regulamentação da lei.

Notícias Relacionadas »