28/04/2021 às 09h33min - Atualizada em 28/04/2021 às 09h33min

Variante mais agressiva do Coronavírus ainda predomina no Paraná, diz Fiocruz

Sequenciamento é fundamental para conhecer a circulação do vírus

Da assessoria
Foto: Divulgação / AEN
A Secretaria de Estado da Saúde recebeu da Fundação Oswaldo Cruz o resultado do sequenciamento genômico de mais 23 amostras do Coronavírus. As análises da Fiocruz são realizadas com o objetivo de monitorar, reconhecer e definir os grupos genéticos virais que estão circulando nas regiões.

Das 23 amostras, 19 tiveram resultado genômico para a variante brasileira P.1. Até o momento, são 322 amostras sequenciadas. Para as variantes de atenção, 99 apresentam resultado para P.1, considerada dominante no Estado; outros cinco resultados foram da variante do Reino Unido, além de dois casos confirmados de reinfecção.

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, destaca que a variante brasileira tem exigido atenção ainda maior das autoridades sanitárias e da população. "A cepa P1 consegue fazer a evolução da doença em um tempo ainda menor e, ao mesmo tempo, faz com que os casos se agravem e o tempo de permanência média do paciente seja de dez a 12% maior", aponta. 

O secretário observa ainda que a análise nacional é acompanhada pelas equipes do Laboratório Central do Estado e da Vigilância Epidemiológica da Sesa, e repassadas para as 22 Regionais de Saúde, que também fazem investigações em suas áreas de abrangência.

Segundo Beto Preto, o sequenciamento é fundamental para conhecer a circulação do vírus, e para a população permanece a recomendação essencial da continuidade das medidas de prevenção, como a utilização de máscara de proteção, a higienização frequente das mãos com água e sabão ou álcool gel 70%, bem como evitar aglomerações.

Notícias Relacionadas »