23/02/2021 às 10h31min - Atualizada em 23/02/2021 às 10h31min

Exclusivo: Técnico do Operário exalta manutenção do elenco, mas evita falar em favoritismo no Paranaense

Mesmo com a contratação de reforços pontuais e a manutenção do elenco, Matheus Costa prefere deixar a empolgação para o torcedor

Por Lucas Couto
Foto: André Jonsson/OFEC
Após uma reta final animadora, que quase levou o Operário Ferroviário Esporte Clube (OFEC) ao acesso para a Série A do Brasileirão na temporada de 2020, o alvinegro se prepara para estrear no próximo domingo (28) pelo Campeonato Paranaense de 2021 contra o Azuriz, de Pato Branco. Torcedores e comentaristas apontam o time de Ponta Grossa como um dos candidatos ao título, mas o técnico Matheus Costa afasta o status de favoritos da equipe e diz que favoritismo só se confirma dentro de campo.

Mesmo com a contratação de reforços pontuais e a manutenção do elenco, o treinador defende que a empolgação deve ficar para o torcedor. “No papel pode ser que tenhamos realmente um bom time, mas de nada adianta se não vencermos as partidas. Por isso, temos que deixar a empolgação para o torcedor. Internamente temos que trabalhar firme e com os pés no chão para chegar ao título”, afirma.



À frente do comando técnico do Fantasma desde outubro de 2020, Costa acredita que a boa impressão deixada na reta final da última temporada fez com que as expectativas sobre a equipe nesse início da temporada ficassem altas. “Nós, aos poucos, implantamos a nossa metodologia e construímos uma equipe consistente que aprendeu a vencer jogos, e esse fortalecimento faz com que os torcedores acreditem em coisas maiores para esse ano”, aponta.

Além da consistência da equipe dentro de campo, outro fator importante apontado pelo treinador é a manutenção de boa parte do elenco que ficou sob o seu comando na temporada 2020. Costa acredita que dessa forma fica mais fácil trabalhar, pois os jogadores já conhecem a sua filosofia. “As renovações foram muito importantes porque fortalecem o time no geral, e facilitam porque o time já entende a forma de jogo do treinador sem que seja preciso reconstruir do zero”, explica.



Sonhos maiores

Com 34 anos, Matheus Costa acredita que o seu trabalho no Operário tem tudo para ser um dos mais relevantes de sua carreira até aqui. Segundo ele, o investimento, a credibilidade e as condições de trabalho oferecidas pela diretoria permitem que o time sonhe com planos maiores. “O Operário tem uma boa estrutura para treinos, e investimento que lhe coloca em condições de brigar por coisas maiores em 2021, justamente numa temporada em que teremos a Série B mais difícil da história”, observa.

O Operário estreia no Campeonato Paranaense contra o Azuriz de Pato Branco neste domingo (28), às 16h, no Estádio Germano Krüger.

Notícias Relacionadas »