14/05/2021 às 11h11min - Atualizada em 14/05/2021 às 11h11min

Trabalhadores ameaçam greve para este sábado (15); VCG pede “bom-senso” e “união”

Empresa afirma que uma paralisação agora compromete o pagamento do vale-alimentação de maio e dos salários de junho

Da redação
Foto: Divulgação
Os colaboradores da Viação Campos Gerais (VCG), concessionária responsável pela execução do serviço de transporte público em Ponta Grossa, podem entrar em greve neste sábado (15), caso o pagamento do salário de abril não seja realizado ainda nesta sexta-feira (14). 

Em mensagem enviada aos colaboradores, o presidente do Sintropas, Luiz Oliveira, foi taxativo: “Não pagou, sábado para. Simples assim. Já mandamos um ofício à empresa informando que eles têm até hoje [14] para fazer o pagamento.”

Em nota enviada ao portal 'NCG', o sindicato confirma que haverá paralisação se o pagamento não for realizado. Anteriormente prevista para a próxima segunda-feira (17), a greve pode começar já a partir deste sábado, acrescenta o comunicado.  

Pagamento

A VCG, por sua vez, depende de um repasse da Prefeitura de Ponta Grossa para quitar a folha de abril. Nesta quinta-feira (13), o município informou que vai encaminhar à Câmara Municipal, até hoje, um Projeto de Lei (PL) referente ao pagamento de uma indenização à concessionária por conta dos 18 dias que o transporte coletivo ficou parado por determinação de decretos municipais.

O aporte, no valor de mais de R$ 1,7 milhão, segundo a concessionária, é suficiente para fazer o pagamento, mas a liberação do repasse depende da aprovação dos vereadores. O PL deverá tramitar em regime de urgência na Casa de Leis e, caso aprovado em duas votações, retornará ao Executivo para sanção e depósito judicial do valor na sequência. 

Bom-senso e união

Em nota enviada na noite desta quinta-feira (13), a VCG pediu bom-senso e união aos colaboradores, diante do período “extremamente delicado”. “Chegamos ao momento de enfrentar as adversidades juntos e não divididos. Por isso, reiteramos que, em face de uma sinalização de paralisação a partir de sábado, chegou a hora do bom-senso prevalecer”, diz o comunicado. 

Na nota, a empresa afirma que reconhece a pendência do salário de abril e destaca que o acordo com o município está mantido, conforme compromisso assumido pela Prefeitura na audiência do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) ocorrida na última quarta-feira (12). O que ainda resta, segundo o comunicado, “são alguns trâmites burocráticos a serem cumpridos pelo município”. 

Afirmando “acreditar” que a questão se resolverá “nos próximos dias”, a concessionária ressalta que uma paralisação, neste momento, "agrava a situação" e compromete o pagamento do vale-alimentação de maio e do salário de junho. 

“Por isso, pedimos apoio e sensibilidade de todos para que as atividades sejam mantidas, para não termos consequências ainda mais drásticas. Por mais triste que seja, precisamos somar esforços e nos unir para que o atendimento à população não se interrompa”, argumenta. 

Leia a seguir o comunicado na íntegra:

Prezados colaboradores:

Diante do período EXTREMAMENTE delicado que estamos passando, chegamos ao momento de enfrentarmos as adversidades JUNTOS e não divididos.

Por isso, reiteramos que em face de uma sinalização de  paralisação, a partir de sábado, chegou a hora do bom senso prevalecer. 

Existe ainda a pendência do salário de abril, e a VCG reconhece e destaca que o diálogo e o acordo com o município está mantido, conforme compromisso assumido pela Prefeitura na audiência do TRT, ocorrida na data de ontem. O que ainda resta são alguns trâmites burocráticos a serem cumpridos pelo município.

Acreditamos que essa questão se resolverá nos próximos dias. Cabe aqui ressaltar que uma paralisação neste momento agrava ainda mais a situação e COMPROMETE DIRETAMENTE O PAGAMENTO DO VALE ALIMENTAÇÃO, de maio, bem como o pagamento de junho. 

Destacamos que existe, sim, a manifestação de muitos colegas que querem exercer suas funções, percebendo este cenário, que jamais havíamos previsto enfrentar. 

Por isso, pedimos apoio e sensibilidade de todos, para que as atividades sejam mantidas, a fim de não termos consequências ainda mais drásticas. Por mais triste que seja, precisamos somar esforços e nos unirmos para que o atendimento à população não se interrompa.  

É um apelo da empresa, que acredita no entendimento da maioria, na união e, acima de tudo, no empenho em um momento tão crítico.  

A VCG precisa dos seus trabalhadores.  A população precisa de nós!

E JUNTOS, SEMPRE, SOMOS MAIS FORTES

Notícias Relacionadas »