09/06/2021 às 13h30min - Atualizada em 09/06/2021 às 13h30min

​Um novo ‘lockdown’ em PG causaria mais demissões e falências, dizem entidades

Associação e sindicato também pedem que o poder público intensifique as fiscalizações, com "punições rígidas"

Da redação
Foto: Divulgação
Com a Prefeitura de Ponta Grossa prestes a publicar um novo decreto de combate à COVID-19 – o que deve ocorrer entre hoje (9) e amanhã (10) –, a sombra de um possível fechamento do comércio, o famigerado 'lockdown', começou a pairar sobre diversos setores do município.

Na manhã desta quarta-feira (9), duas entidades emitiram comunicados oficiais se posicionando contra uma possível decisão do poder público nesse sentido. Para o Sindicato Empresarial de Hotelaria e Gastronomia dos Campos Gerais, o fechamento do comércio causaria mais demissões e a falência de negócios que ainda não se recuperaram do primeiro 'lockdown'. 

"O sindicato espera uma decisão equilibrada, permitindo ao setor continuar trabalhando sem prejuízos, e que os estabelecimentos clandestinos e irregulares sejam severa e exemplarmente punidos a ponto de saírem definitivamente do mercado, se assim merecerem", diz a nota. 

Confira o comunicado na íntegra: 

O Sindicato Empresarial de Hotelaria e Gastronomia dos Campos Gerais repudia a ideia de um novo lockdown em Ponta Grossa, visto o atual cenário econômico das empresas do setor. Como representante da gastronomia e hotelaria da cidade, o sindicato sabe que com uma nova paralisação todo o setor será afetado, acarretando em demissões e em falências de negócios ainda em recuperação do primeiro lockdown. O Sindicato espera uma decisão equilibrada permitindo ao setor de continuar trabalhando sem prejuízos, e que os estabelecimentos clandestinos e irregulares sejam severa e exemplarmente punidos a ponto de saírem definitivamente do mercado se assim merecerem.

Da mesma forma, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes dos Campos Gerais (Abrasel Campos Gerais) se manifestou, através de nota oficial, contra um possível ‘lockdown’ no município e cobrou "mais fiscalização" por parte da Prefeitura. 

"A Abrasel condena com veemência toda decisão punindo bares e restaurantes pelo aumento de casos de COVID-19, e, mais uma vez, pede ao poder público a continuidade do atual modelo de atendimento e o aumento na fiscalização daqueles que estão irregulares e prejudicam os demais, aplicando punições rígidas", afirma a entidade. 

Confira a nota na íntegra: 
 
A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes dos Campos Gerais (Abrasel Campos Gerais) demonstra preocupação sobre a possibilidade de um novo lockdown em Ponta Grossa, visto que as empresas do setor ainda estão se recuperando de paralisações anteriores em um momento em que a dívidas delas crescem cada vez mais desde o início da pandemia. Um novo lockdown, neste momento, pode gerar demissões, falências de empresas e enfraquecer toda a economia local, que já está fragilizada. A Abrasel condena veemente toda decisão punindo bares e restaurantes pelo aumento de casos de COVID-19 e, mais uma vez, pede ao poder público a continuidade do atual modelo de atendimento e aumento na fiscalização daqueles que estão irregulares e prejudicam os demais, com punições rígidas.

Notícias Relacionadas »