10/06/2021 às 08h28min - Atualizada em 10/06/2021 às 08h28min

Motorista da VCG que denunciou superlotação em UPA morre com infecção generalizada

Da redação
Foto: Reprodução
[ERRATA: Ao contrário do que havia sido afirmado nesta matéria, Candido Rosa não morreu em decorrência da COVID-19, mas, sim, de uma infecção generalizada causada pela "sepse". As novas informações sobre o caso estão em negrito na matéria a seguir.]

O motorista da Viação Campos Gerais (VCG) Candido Rosa morreu na madrugada desta quinta-feira (10), aos 57 anos, por uma parada cardiorrespiratória decorrente de uma infecção generalizada, no Hospital Universitário (HU), onde estava em tratamento.  

De acordo com informações de familiares, o motorista ficou quatro dias internado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Santa Paula e seis dias no HU, totalizando dez dias de internamento para se tratar da COVID-19.

Durante o período passado na UPA, Candido, segundo o filho do motorista, contraiu uma infecção de nome "sepse", que afetou o seu sistema renal, provocando uma infecção generalizada e, como consequência, o agravamento de seu estado. 

Denúncia 

Internado na ala COVID-19 da UPA Santa Paula no dia 1º deste mês, o motorista se notabilizou por ter denunciado a superlotação do local. No último sábado (5), um vídeo gravado por Rosa (veja ao fim da matéria) circulou pelas redes sociais e aplicativos de mensagens ao exibir um preocupante cenário de abandono na ala. 

Segundo relatado pelo motorista na ocasião, 14 pessoas estavam sentadas em cadeiras e sendo atendidas por apenas uma enfermeira. Em áudio encaminhado ao portal 'NCG', Cândido, já com o fôlego curto por conta da doença, afirmava estar "tudo abandonado" no local.

"É um absurdo isso. Um sofrimento só. Está tudo abandonado aqui. Todo mundo sofrendo – os doentes, os funcionários da UPA. Está horrível. Eu estou há três dias aqui. Nem banho eu tomei, porque não tem condições de tomar banho aqui dentro", relatou.

Pesar

Nas redes sociais, um cunhado de Candido confirmou a morte e manifestou pesar pelo fato. "Com tristeza, comunico o falecimento do meu cunhado Candido Rosa, que infelizmente não resistiu às complicações decorrentes da COVID-19", escreveu.

O sepultamento do motorista será realizado às 16h30 desta quinta-feira, no cemitério Parque Campos Gerais. Candido deixa a esposa, Juliana, e os filhos Bruno, Monique, Everton e Willian. 


Vacinação 

Em nota oficial enviada à imprensa na manhã desta quinta-feira, a VCG afirma que "lamenta profundamente o falecimento" do colaborador e "externa o seu pesar a familiares e amigos".


Confira o vídeo divulgado pelo motorista no último sábado (5): 


Notícias Relacionadas »