17/06/2021 às 08h22min - Atualizada em 17/06/2021 às 08h22min

Vereador pede quebra de sigilo fiscal e bancário da VCG

Parlamentar afirma duvidar que a concessionária não tivesse dinheiro para pagar colaboradores durante a greve

Da assessoria
Foto: Divulgação
O vereador Geraldo Stocco (PSB) pediu a quebra dos sigilos fiscal e bancário da Viação Campos Gerais (VCG), empresa que atua no transporte público em Ponta Grossa. Stocco é membro da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a companhia na Câmara Municipal. Para o parlamentar, a quebra de sigilos fiscal e bancário é fundamental neste momento.

A CPI foi criada após uma grave crise atingir o setor. Com as atividades suspensas por duas semanas, a VCG atrasou o pagamento dos funcionários, que entraram em greve. Stocco acredita que a empresa tinha dinheiro para pagar os funcionários e por isso pediu a quebra dos sigilos fiscal e bancário - a CPI foi criada justamente para averiguar essas e outras situações.

"Agora é fundamental investigar a situação fiscal da Viação. Não é possível que uma empresa que tem um monopólio que por décadas foi lucrativo acabe não pagando os salários dos servidores por conta de duas semanas inativas em um período de pandemia. Para onde foi o lucro da VCG durante essas duas décadas?", questiona Stocco sobre a quebra dos sigilos.

O vereador do PSB vai formalizar o pedido ao presidente da CPI. "Criamos a CPI para investigar de forma séria e isenta a viação. Essa investigação precisa da quebra e dos sigilos fiscal para termos uma real noção da situação econômica da empresa. O sistema de transporte público sempre demandou mais transparência e precisamos superar isso", destaca Stocco.

A CPI foi criada após forte trabalho político de Stocco. Para o parlamentar, a Comissão precisa "entregar um trabalho sério à sociedade" como resposta ao repasse autorizado pela Câmara. 

Notícias Relacionadas »