02/07/2021 às 16h31min - Atualizada em 02/07/2021 às 16h31min

Cinco perguntas para Elisangela Gueiber Montes

Doses vencidas podem afetar a saúde de quem as tomou? O que fazer nesses casos? Devemos continuar tomando a vacina? Pesquisadora e professora-adjunta da UEPG fala sobre a polêmica das vacinas vencidas

Da redação
Foto: Divulgação
Pelo menos 26 mil doses vencidas da vacina AstraZeneca foram aplicadas em diversos postos de saúde do país, informa a ‘Folha de S. Paulo’. Os dados constam de registros oficiais do Ministério da Saúde.

Até o dia 19 de junho, os imunizantes com prazo de validade expirado haviam sido utilizados em 1.532 municípios brasileiros. A campeã no uso de vacinas vencidas é Maringá. A cidade paranaense vacinou 3.536 pessoas com o produto da AstraZeneca fora da validade (primeira dose em todos os casos). Depois aparecem Belém (PA), com 2.673; São Paulo (SP), com 996; Nilópolis (RJ), com 852; e Salvador (BA), com 824. As demais cidades aplicaram menos de 700 vacinas vencidas, sendo que a maioria não passou de dez doses.

O município de Ponta Grossa, de acordo com a matéria da ‘Folha’ (consulte aqui todos os municípios), não aplicou nenhuma dose vencida do imunizante. A assessoria da Prefeitura também afirma que não “tem registro” de aplicações de doses vencidas na cidade.

Na região, a história é outra. Segundo o jornal, sete municípios próximos aplicaram doses vencidas da vacina. São elas: Curiuva, com 13; Piraí do Sul, com 4; Prudentópolis, com 3; Ortigueira, com 2; Cândido de Abreu, com 2; Irati, com 1; e Castro, com 1, totalizando 26 doses. 

Será que existe risco para a saúde de quem tomou vacinas vencidas? O que fazer em caso de dúvidas? É preciso ter receio de receber vacinas a partir de agora? Colocamos essas perguntas para Elisangela Gueiber Montes, doutora em Ciências Farmacêuticas, especialista em Microbiologia e Imunologia, e professora-adjunta da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). 

Há risco para a saúde de quem tomou vacinas vencidas?

Apesar de ser um erro grave, quando a vacina é aplicada fora do prazo de validade, não devem ocorrer outras reações além daquelas que geralmente poderiam aparecer para cada tipo de imunizante.

Mas, afinal, existe algum problema então? 

O maior problema que pode acontecer, nessa situação, seria a queda parcial da eficácia do imunizante, já que os estudos sempre se baseiam em tempos e condições de armazenamento adequados para esse cálculo. Desta forma, assim como em qualquer medicamento, fica difícil avaliar o quanto será a eficácia em situações em que um desses fatores não possa ser levado em conta de forma adequada.

O que fazer em caso de dúvidas? 

A medida correta a ser tomada é verificar o lote da vacina na carteira de vacinação [confira lotes de doses vencidas ao fim da matéria] e, caso esteja em algum daqueles anunciados pelo Ministério da Saúde como vencidos, procurar o serviço de imunização do município para relatar e solicitar providências. Nessa situação, conforme orientação da Sociedade Brasileira de Imunização [SBI], é preconizado repetir o esquema vacinal com nova dose, para garantir a eficácia prevista pelo fabricante. Não há registros de efeitos negativos de se fazer a imunização correta depois do recebimento de uma dose vencida.

É preciso ter receio de receber vacinas a partir de agora?

Não há motivo para pânico, muito menos para restringir a imunização, pois o erro já está sendo corrigido e, com certeza, a partir dele, será dada mais atenção à questão da validade dos imunizantes utilizados. É muito importante que a população tenha consciência de que as vacinas são a nossa única arma contra o vírus e no combate à pandemia. Não podemos recuar nos passos que já foram dados e que vêm mostrando sinais claros dos efeitos benéficos da vacinação. Já é possível observarmos que muitos estados mostram queda no número de óbitos em decorrência da doença, bem como uma mudança de faixa etária das pessoas que adoecem por COVID-19, na qual é possível ver que os primeiros grupos imunizados já são os menos acometidos.

Quando e como a guerra ao Coronavírus poderá ser vencida? 

Para que a guerra ao vírus seja vencida, precisamos da maior parte da população vacinada, independente de qual fabricante produziu o imunizante. A melhor vacina é aquela que estiver disponível para ser aplicada no momento e que poderá fazer a diferença entre a vida e a morte de cada um e de seus familiares. Vacinação é questão de consciência coletiva, em que cada um, além de proteger-se, protege ao outro também.

Lotes de vacinas vencidas


 
Notícias Relacionadas »