07/07/2021 às 23h30min - Atualizada em 07/07/2021 às 23h30min

UEPG lamenta o falecimento da acadêmica Eliane Afynowicz Reuter

Mãe, esposa e servidora pública, Eliane conseguiu conciliar sua rotina do dia com a faculdade durante a noite

Da assessoria
Foto: Divulgação
A Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), por meio do Departamento de Pedagogia, lamenta o falecimento da acadêmica Eliane Afynowicz Reuter, que aconteceu nesta quarta-feira (7), em decorrência da COVID-19. Aos 36 anos, ela deixa o marido e duas filhas pequenas. O corpo foi encaminhado diretamente ao Cemitério Santo Antônio.

Mãe, esposa e servidora pública, Eliane conseguiu conciliar sua rotina do dia com a faculdade durante a noite. A acadêmica estava no terceiro ano e colecionou amizades entre colegas e professores. “Eliane tinha a essência da mulher brasileira: a mãe trabalhadora que busca alcançar seus sonhos através do estudo. Como aluna do curso de Pedagogia, era impensável que não estivesse em todas as aulas, sempre sentada à frente para participar e se posicionar durante as discussões”, relembra a professora Viviane Bagio.

Estudar e trabalhar é tarefa árdua. Segundo professores do curso, em alguns momentos Eliane precisou levar a filha mais velha para acompanhar as aulas junto com ela, já que o pai ficava com as meninas de dia para ela trabalhar. Os professores Jefferson Mainardes e Giselle Smaniotto ressaltam que, mesmo no período em que Eliane esteve em tratamento de saúde, ela demonstrava preocupação e responsabilidade com os estudos, “mantendo sempre contato e reafirmando a vontade de desenvolver estudos e trabalhos”, explicam.

Pelas redes sociais, sua amiga Cristiane Carneiro agradeceu pela oportunidade de ter convivido com Eliane. “Agradeço pelos momentos lindos que vivemos e agradeço pela sua amizade. Sua vida infelizmente terminou cedo demais, mas no meu coração você será eterna. Continuarei lembrando do seu exemplo de força e determinação, suas convicções fortes e sua alegria de viver”. A colega Nayara reafirmou a personalidade alegre, dinâmica e batalhadora da colega. “Eu a vi batalhar a cada dia, se desdobrar entre o trabalho, a Universidade e a família, a qual ela sempre amou loucamente. Ela se foi, mas guardaremos sua alegria, seu sorriso e sua risada”.

A UEPG presta solidariedade aos familiares, amigo e colegas pela perda.

Notícias Relacionadas »