12/07/2021 às 16h55min - Atualizada em 12/07/2021 às 16h55min

Pandemia continua a castigar setor hoteleiro de PG, diz entidade

Mesmo elevada em comparação ao último ano, taxa de ocupação dos hotéis preocupa o segmento

Da assessoria
Foto: Reprodução
Desde o início da pandemia de COVID-19, a hotelaria vem sofrendo com oscilações em sua taxa de ocupação. Muitos motivos fazem isso acontecer, como a economia fraca e as medidas de prevenção à doença, como a proibição de eventos.

Por isso, o atual cenário fez com que a taxa de ocupação no primeiro semestre deste ano continuasse abaixo da média, fechando o período em 46%, contra 53% de 2019 -- mas acima do último ano, que ficou em 36% --, segundo dados do Ponta Grossa Campos Gerais Convention & Visitors Bureau.

De acordo com Marcelo Amaral, gerente executivo do Convention, o primeiro semestre do ano é conhecido pela taxa de ocupação amena, porém os dados estão preocupantes há dois anos, o que é um alerta.

"O segundo semestre é conhecido pelos grandes eventos, como a Agroleite, que lota os hotéis de diversas cidades em nossa região, o que era um estimulo à hotelaria, pois sabiam que no período as taxas aumentariam, o que não aconteceu em 2020 e, provavelmente não aconteça em 2021, visto o atual cenário da pandemia", enfatiza o gerente.

Amaral ainda ressalta as mudanças no perfil de hóspede da hotelaria, o que tem ajudado as empresas. "Antes da pandemia era comum os hotéis estarem com alta ocupação durante a semana e esvaziarem no fim de semana, mas hoje o que vemos é um equilíbrio, e o fim de semana está cada vez mais atrativo para o setor, e isso se deve pela busca de passeios ao ar livre."

O Parque Vila Velha e o Buraco do Padre, associados do Convention Bureau, apontam o alto fluxo de pessoas no fim de semana, o que reflete nos hotéis, que também oferecem pacotes de passeio aos atrativos turísticos, caso do Planalto Select Hotel, Premium Vila Velha e Bourbon Ponta Grossa Convention.

Para Daniel Wagner, presidente do Sindicato Empresarial de Hotelaria e Gastronomia dos Campos Gerais, o mercado está, aos poucos, voltando a sua normalidade. Entretanto, os números expressivos de anos anteriores só retornam após o fim da pandemia. “Em 2019, víamos uma taxa de ocupação em crescimento e em janeiro do ano passado, por exemplo, esse aumento se confirmava, pois o índice estava acima de 50%, mas a partir das medidas de prevenção ao coronavírus, iniciados em março, esse cenário mudou”.

Daniel pontua ainda a chegada de novos hotéis na cidade, alguns já em operação e outros com previsão de iniciar neste ano. “Aumentou a oferta, mas não a demanda, e isso vai impactar no mercado também, fazendo com que a taxa de ocupação da cidade esteja em declínio", finaliza.

Os dados são fornecidos pelas empresas associadas ao Ponta Grossa Campos Gerais Convention & Visitors, incluindo os maiores hotéis da cidade.

 

Notícias Relacionadas »