14/07/2021 às 10h05min - Atualizada em 14/07/2021 às 10h05min

Mais de 83 quilos de carne clandestina são apreendidos em PG

Apreensões foram realizadas durante fiscalização de rotina nos bairros de Uvaranas e Oficinas

Da assessoria
Foto: Divulgação
Nesta terça-feira (13), a equipe de fiscais do Serviço de Inspeção Municipal (SIM), da Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SMAPA), apreendeu mais de 83 kg de carne bovina clandestina, entre outros produtos. As apreensões foram realizadas durante fiscalização de rotina em dois bairros de Uvaranas e Oficinas pelo fato de os produtos estarem vencidos e impróprios para consumo.

Bruno Costa, responsável pela SMAPA conta que o SIM está constantemente inspecionando estabelecimentos que comercializam produtos de origem animal. Nesta visita de rotina, além dos 83 quilos de carne bovina, foram apreendidos 27 dúzias de ovos, 18 quilogramas de queijo e cinco quilos de embutidos.  "O SIM inspeciona alimentos como carnes bovinas, suínas, ovinas, aves, pescados, embutidos, mel, queijos, produtos lácteos, hambúrgueres, almôndegas, ovos", conta.

O secretário relata que o estabelecimento comercial tem um prazo de defesa e, se não for aceita a justificativa, estará sujeito a multa. "A multa é calculada em Valor de Referência do Município (VRM) e depende da quantidade apreendida e houve a colaboração do infrator no momento da fiscalização, por exemplo", explica o Costa, que que comenta ainda que os produtos serão levados para o aterro sanitário, inutilizada com água sanitária, sendo efetuada o descarte correto.

Para Costa, a situação é grave, pois a falta de procedência de produtos de origem animal pode gerar risco para o consumidor. "O produto abatido de forma irregular sem as condições de higiene necessárias ou mesmo vencidos podem trazer a contaminação do ambiente na carne, além de doenças", comenta.

A orientação é de que o consumidor compre produtos de origem animal em estabelecimentos conhecidos, idôneos e é direito perguntar qual é o frigorifico fornecedor, data de validade, data de abate entre outras informações sobre o produto. O secretário municipal orienta ainda que, quando um funcionário de um estabelecimento que trabalha com este tipo de produto percebe alguma situação irregular, ou mesmo o quando o consumidor identifica indícios de armazenamento precário de alimentos de origem animal, podem denunciar pelo Serviço 156 on-line da Prefeitura", finaliza Costa.

 Em casos de denúncias, acesse o Serviço 156 on-line (aqui). 

Notícias Relacionadas »