16/07/2021 às 14h04min - Atualizada em 16/07/2021 às 14h04min

Ranking britânico coloca UEPG entre as 100 melhores instituições da América Latina

"Nossa meta é chegar ao grupo das 50 melhores universidades do continente", afirma o reitor Miguel Sanches Neto

Da assessoria
Foto: Divulgação
A Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) se manteve entre as 100 melhores Universidades da América Latina, conforme ranking divulgado pela revista inglesa Times Higher Education (THE), nesta semana. Na classificação, que utiliza dados de 2019, a UEPG aparece na 86º posição geral. Dentre as instituições brasileiras no ranking, a Universidade ficou na 41º posição e dentre as universidades estaduais do Brasil, na 9° posição.

“A cada ano as universidades estaduais avançam rumo à excelência no ensino, pesquisa e nas atividades de extensão”, afirma o coordenador de Ciência e Tecnologia da Superintendência Geral da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná, Marcos Pelegrina.

O reitor da UEPG Miguel Sanches Neto reconhece que é uma grande honra fazer parte deste seleto grupo de universidades. “Isso é resultado do esforço de todos os professores, alunos e agentes. Nossa meta é chegar ao grupo das 50 melhores universidades do continente. Para isso, estamos em processo de estudo das principais áreas que devem receber maior atenção por parte da UEPG”, adiciona o reitor.

Para a diretora de avaliação institucional Raquel Abdallah da Rocha Oliveira, a UEPG mantém sua posição de destaque no ranking. “Alcançamos a nona colocação entre as universidades brasileiras estaduais. Estamos entre as 50 melhores universidades do Brasil e entre as 100 melhores da América Latina. Esses resultados mostram nosso compromisso com a instituição e com a sociedade em alcançar sempre os melhores índices, visando a excelência no ensino superior”, complementa.

Além da UEPG, as universidades estaduais de Londrina (UEL), Maringá (UEM) e do Oeste do Paraná (Unioeste) também apareceram no ranking, nas posições 47º, 48º e 74º. O ranking está disponível no site da Times Higher Education.

Notícias Relacionadas »