17/07/2021 às 13h30min - Atualizada em 17/07/2021 às 13h32min

Irmãos de PG passam em vestibular para curso de Medicina na UEPG

Danilo tem 18 anos e Mayara 19; ambos eram considerados exemplos de alunos pelos professores

Da assessoria
Foto: Divulgação
A alegria da aprovação no curso de Medicina em uma universidade pública veio em dose dupla para a família Beltrame, de Ponta Grossa. Dois irmãos alcançaram as primeiras colocações nos últimos processos seletivos da instituição e ingressarão em um dos cursos mais concorridos entre as universidades do Paraná. 

Os irmãos que proporcionaram alegria à família Beltrame são Danilo, 18 anos, e Mayara, 19. Ambos estudaram desde 2013 no Colégio Pontagrossense Sepam e eram vistos pelos professores como exemplos de alunos. 

Yuri Sócrates, professor e coordenador do Sepam Vestibulares, é um dos que conviveu com os irmãos e pôde notar a dedicação dos dois. 

"Ambos eram participativos nas aulas. Anotavam o que era dito em sala, copiavam o que os professores passavam e tiravam dúvidas sempre que necessário. Um dos nossos docentes elogiava a desenvoltura da Mayara em produção textual, ressaltando sua articulação de ideias a capacidade de emitir opiniões com clareza. Isso demonstra maturidade nos estudos e também como pessoa. Danilo destaca-se em Ciências Exatas. Ele participou de olimpíadas estudantis obtendo ótimos resultados, como quando ficou em primeiro lugar geral na Olímpiada Paranaense de Matemática", afirma Yuri. 

Com mãe professora e pai engenheiro civil, Danilo e Mayara têm uma trajetória de conquistas na vida escolar. E foi a partir do Ensino Médio, por meio do contato com as disciplinas de Química, Física e Biologia, que os dois começaram a pensar em fazer Medicina. "Eu lembro que o meu interesse surgiu quando um professor levou em uma aula sobre anatomia, peças de corpo. Eu fiquei deslumbrada em ver os órgãos e em descobrir mais sobre o funcionamento do nosso organismo. Desde então comecei a pensar em prestar vestibular para Medicina", conta a garota. 

Com o desejo de passar em Medicina na UEPG, Mayara participou do terceirão/extensivo e também do semiextensivo promovido pelo Sepam Vestibulares. E foi neste ano, junto com o irmão Danilo, que é mais novo e obteve aprovação pelo Processo Seletivo Seriado (PSS), que veio a vitória dupla, em família. 

"A minha aprovação saiu primeiro que a da Mayara. Eu fiquei feliz por mim, mas não consegui comemorar completamente aguardando que ela também fosse chamada. Dias depois saiu a confirmação da aprovação da minha irmã e foi uma alegria imensa para nossa família ter os dois aprovados em Medicina", relata Danilo. 
  
Trajetória de conquistas e dedicação 
Para o diretor do Colégio Sepam, Osni Mongruel Junior, Danilo e Mayara são exemplos de alunos que mantiveram o foco mesmo com as mudanças causadas pela pandemia do Coronavírus. "Os dois seguiram firmes no propósito que tinham estabelecido. Aproveitaram totalmente o apoio e o preparo ofertado pela equipe Sepam com as aulas e assistências. Participaram dos plantões de dúvidas e interagiam com os professores ao máximo. Para o Sepam é uma satisfação participar da formação de bons alunos e contribuir para a conquista das famílias, em especial essa dupla da família Beltrame" sustenta o diretor. 

Segundo os irmãos, a formação adquirida no Colégio Sepam ao longo dos anos foi essencial para manter uma rotina de estudos equilibrada e de qualidade.  

"O Sepam incentiva bastante os estudos e também que os alunos desenvolvam outros potenciais, por meio das atividades extraclasse. Os professores são excelentes a metodologia de atividades diárias, de fazer cerca de 20 exercícios por dia desde quando éramos mais novos, nos ajudou a manter um ritmo nos estudos, não só no terceirão, mas, durante toda a trajetória. O Colégio preza muito pela qualidade do ensino e nos motivava sempre a resolver as questões de provas mais antigas da UEPG, o que me ajudou bastante", lembra Mayara. 

Para Danilo, outro ponto importante durante a fase de preparação para o vestibular foi o cuidado com a saúde mental. "Nós já estudávamos o dia todo. Então, tentávamos descansar no período da noite, assistir séries ou filmes. Passar em um vestibular exige muito de nós e entendíamos que se não estivéssemos com a saúde mental em dia, a qualquer momento poderíamos 'surtar' e atrapalhar o processo de aprendizagem. Eu focava muito em aprender o que mais tinha dificuldade, mas prezava bastante pelo meu momento de descanso também", completa o jovem. 

Sobre o futuro? Mayara e Danilo não estão tão ansiosos. Com a entrada na universidade, ambos dizem querer aproveitar as oportunidades e descobrir suas vocações ao longo dos anos da graduação. Para eles, o importante agora é poder comemorar a tão sonhada vaga na universidade pública, na própria cidade em que nasceram. 

Notícias Relacionadas »