20/07/2021 às 09h11min - Atualizada em 20/07/2021 às 09h11min

Confira os municípios do Paraná que já tiveram casos da variante delta

Das 13 pessoas infectadas, seis vieram a óbito

Da assessoria
Foto: Divulgação
A Secretaria da Saúde do Paraná confirmou nesta segunda-feira (19) mais quatro casos da variante delta no Estado, todos na área da 2ª Regional de Saúde (da Grande Curitiba). Os confirmados são em Curitiba, Araucária, Piên e Piraquara. Segundo o Ministério da Saúde, a transmissão ainda não é considerada comunitária porque o estudo dos casos segue em andamento.

Os quatro casos confirmados são um homem de 78 anos, de Araucária, que foi a óbito em 30 de junho; um homem de 64 anos, de Piên, que foi a óbito no dia 11 de julho; uma mulher gestante de 24 anos, de Curitiba, que está bem, se recuperou da doença; e um adolescente de 13 anos, de Piraquara, que também evoluiu satisfatoriamente. 

Casos anteriores

O Paraná totaliza, até o momento, 13 casos confirmados da variante delta, com seis óbitos. Todos passaram por sequenciamento genômico realizado pelo Laboratório da Fiocruz, no Rio de Janeiro. Já são nove cidades com casos: Curitiba, Apucarana, Francisco Beltrão, Rolândia, Mandaguari, São José dos Pinhais, Piên, Piraquara e Araucária.

Segundo técnicos da Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde e da Sesa, a avaliação sobre o cenário da transmissão da variante delta no Paraná é permanente.

“O Paraná está atento à transmissão da variante, considerada de atenção, desde os primeiros casos. Acompanhamos a investigação da rede de contatos dos casos confirmados. Existe uma investigação ampliada há dez dias com a participação de equipes do Ministério da Saúde, do Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada aos Serviços do Sistema Único de Saúde (EpiSUS), que estão pesquisando minuciosamente a rede de contatos dos casos secundários a até terciários dos confirmados”, explicou o secretário de Estado da Saúde do Paraná, Beto Preto.

Nesta terça-feira (20), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, visitará o Paraná para acompanhar a campanha de imunização em Foz do Iguaçu, na região Oeste. A aplicação célere em cidades de fronteira é uma das estratégias contra a circulação de novas variantes no Estado.

Notícias Relacionadas »