15/08/2021 às 13h18min - Atualizada em 15/08/2021 às 13h18min

Sobe para mais de 700 o número de mortos vítimas de terremoto no Haiti

Além das vítimas fatais, pelo menos 2.800 pessoas ficaram feridas durante o tremor de magnitude 7.2

Por 'UOL'
Foto: Jose Flecher/cortesia via Reuters
Pelo menos 724 pessoas morreram no poderoso terremoto que abalou o Haiti, informaram as autoridades do país neste domingo (15), um dia após a catástrofe, informa o 'UOL'. Além das vítimas fatais, pelo menos 2.800 pessoas ficaram feridas durante o tremor de magnitude 7.2.

Pelo menos 724 pessoas morreram no poderoso terremoto que abalou o Haiti, informaram as autoridades do país neste domingo (15), um dia após a catástrofe. Além das vítimas fatais, pelo menos 2.800 pessoas ficaram feridas durante o tremor de magnitude 7.2.

Os números foram atualizados pela Defesa Civil do país. No entanto, o saldo ainda é provisório, já que as equipes de resgate ainda procuram sobreviventes.

O terremoto ocorreu no sábado (14) às 08h29 (9h29 de Brasília) a 12 km da cidade de Saint-Louis-du-Sud, localizada a cerca de 160 km da capital haitiana Porto Príncipe, segundo dados do Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS). Muitos edifícios desabaram durante o poderoso terremoto, prendendo centenas de moradores sob os escombros.

O chefe do governo, Ariel Henry, que sobrevoou as áreas mais afetadas de helicóptero no sábado, anunciou que o estado de emergência foi declarado por um mês nos quatro departamentos afetados pela catástrofe.

O Haiti já tem um triste histórico de terremotos. Em 12 de janeiro de 2010, um tremor de magnitude 7 na escala Richter devastou a capital haitiana e várias cidades no interior do país. Mais de 200.000 pessoas foram mortas e outras de 300.000 outras ficaram feridas na tragédia, que deixou 1,5 milhão de pessoas desabrigadas.

Mobilização internacional

Neste domingo, o papa Francisco expressou sua "solidariedade" com a população do Haiti. "Dirijo palavras de encorajamento aos sobreviventes, esperando que a comunidade internacional se envolva em seu nome e que a solidariedade de todos possa mitigar as consequências da tragédia", declarou o sumo pontífice durante o Ângelus na Praça de São Pedro.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ofereceu no sábado assistência "imediata", enquanto o secretário-geral das Nações Unidas, Antonio Guterres, garantiu que a ONU está "trabalhando para apoiar as necessidades emergenciais" do país caribenho.

A República Dominicana, vizinha do Haiti na mesma ilha, anunciou o envio de 10.000 rações de emergência e equipamentos médicos. México, Peru, Argentina, Chile e Venezuela também se ofereceram para ajudar, assim como o Equador, que envia uma equipe de 34 bombeiros para participar das buscas. O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sanchez, garantiu aos haitianos que eles poderiam "contar com a ajuda da Espanha".

A tenista japonesa Naomi Osaka, cujo pai é haitiano, anunciou que pretende oferecer às vítimas do terremoto todos os prêmios que receber em seu próximo torneio.

O governo brasileiro expressou sua solidariedade ao povo haitiano e reafirmou "seu firme compromisso com a continuidade da ajuda humanitária prestada àquele país". Na mesma nota, o Itamaraty informou que até a noite de sábado, não havia registro de brasileiros entre as vítimas. A comunidade brasileira no Haiti é estimada em 50 pessoas, a maioria de religiosos.

Notícias Relacionadas »