22/08/2021 às 15h24min - Atualizada em 22/08/2021 às 15h24min

Domingo terá céu com Lua Azul; entenda o que isso significa

Saiba mais sobre o que é a “Blue Moon" e a raridade do evento que só voltará a acontecer em 2024

Foto: NASA/Bill Ingalls
Este domingo, 22 de agosto de 2021, marca o dia da terceira lua cheia de uma estação que terá quatro delas. Uma lua que, tradicionalmente, é batizada de Lua Azul. O fenômeno parece simples, mas é resultado de um inverno especialmente cronometrado e relativamente raro.

Normalmente, as estações que abrangem os tempos entre um solstício e um equinócio duram três meses e, portanto, nos brindam com três luas cheias. Neste ano, porém, a lua cheia de junho ocorreu apenas três dias após o solstício, deixando inverno suficiente para quatro luas cheias na mesma estação.

Um fenômeno como esse, ocorre sete vezes a cada 19 anos. A proporção, não muito redonda, se deve à dessincronia entre o calendário lunar e o calendário gregoriano, sendo que os meses do calendário lunar são um pouco mais curtos que a média do calendário que usamos no nosso dia a dia. Assim,19 anos equivalem a 235 meses lunares, cada um com sua lua cheia, mas apenas 228 meses do calendário tradicional, o que deixa sete luas cheias "extras" durante todo o período.

Dentro dessa lógica, o site Earth Sky explica que a próxima Lua Azul sazonal, ou seja, que se refere a terceira lua de uma estação com quatro, deve acontecer apenas em 2024, no dia 19 de Agosto. Um tempo de espera que pode ser relativizado graças a uma polêmica astronômica, já que há quem também chame de Lua Azul a segunda lua cheia que ocorre dentro do mesmo mês.

Não há argumentos científicos para justificar uma ou outra definição, mas para os adeptos da segunda, pode-se dizer que a próxima Lua Azul chegará mais cedo, em 31 de Agosto de 2023.

Muito raramente, uma Lua Azul sazonal e uma Lua Azul mensal ocorrem no mesmo ano. O que deve acontecer no ano de 2048, quando uma Lua Azul mensal cai em 31 de janeiro, e uma Lua Azul sazonal em 23 de agosto.

Vale lembrar que em todos esses casos, são pequenas as chances da lua aparecer de fato na cor azul. Embora o fenômeno seja possível, ele está associado à presença de certas partículas vermelhas na atmosfera e não com a periodicidade da lua. De qualquer forma, o satélite do nosso planeta deve brilhar intensamente esta noite - e ainda estará perto de dois planetas, Júpiter e Saturno.

Com informações da 'Revista Galileu' 

 
Notícias Relacionadas »