23/08/2021 às 16h15min - Atualizada em 23/08/2021 às 16h15min

Paciente é flagrado no chão da UPA Santana: "Não aguentou de dor"

Outro paciente buscou a UPA para atendimento, mas acabou esperando seis horas no local e saiu sem ser atendido

Foto: Fabiano Blageski
Um paciente foi registrado deitado no chão da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Santana, em Ponta Grossa, enquanto aguardava por atendimento na madrugada desta segunda-feira (23). Segundo o Fabiano Blageski, autor da foto, o paciente se deitou por conta da forte dor.

"Ele precisava de um medicamento para acalmar a dor, não estava aguentando. Aquilo me incomodou bastante, de ver ele andando de lá para cá. Chegou um momento que ele não aguentou, acabou deitando no chão da UPA para ver se passava a dor, se conseguia dormir", contou Fabiano.

Procurada, a Prefeitura de Ponta Grossa afirmou que a demora no atendimento acontece devido à dificuldade para transferência de pacientes que estão internados no local. Desta forma, novos atendimentos demoram para ser feitos porque não há leitos disponíveis em caso de necessidade.

Essa transferência, ainda conforme a administração municipal, é de responsabilidade da Central de Leitos do Paraná, sob gestão da Secretaria de Estado de Saúde (Sesa). A reportagem tentou contato com a Sesa, mas não houve retorno até a publicação desta matéria. 

Espera por atendimento

Segundo Fabiano, ele também buscou a UPA para atendimento por volta de 00h, mas acabou esperando seis horas no local e saiu sem ser atendido.

"Aguardei e com outras pessoas que já estavam desde 20h30 de domingo (22) [...] outro rapaz que estava com dor durante toda a madrugada e ninguém dava medicamento, não davam auxílio, só falavam que tinha que aguardar. Foi só o que nós fizemos, aguardamos", desabafou.

Sobre o caso de Fabiano, a prefeitura afirmou que o quadro não foi considerado grave e, por isso, ele poderia esperar de quatro horas ou mais para ser atendido.

A administração municipal diz ainda que o chamou por volta de 4h30, mas que ele não estava. Fabiano negou e disse que ficou no local até 6h desta segunda, sem ser chamado.

Com informações do 'G1'

Notícias Relacionadas »