24/08/2021 às 16h17min - Atualizada em 24/08/2021 às 16h17min

Polícia do PR investiga assassinato de melhores amigas, mortas com seis dias de diferença

Uma delas tinha sinais de tortura e teve um arame farpado enrolado no pescoço; a outra foi assassinada a tiros

Foto: Reprodução
A Polícia Civil do Paraná investiga se os assassinatos de duas mulheres, que eram melhores amigas, em Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba, tem relação. A suspeita surgiu após Emanoele Caroline Pavoni, de 21 anos, ser encontrada morta na madrugada desta terça-feira (24), na casa onde morava com uma outra amiga, com um tiro no pescoço. 

A princípio, a hipótese era de que o caso pudesse ser passional, mas as investigações tomaram um novo rumo quando a polícia percebeu que a vítima era muito próxima de outra jovem, Ariane da Silva Souza, de 18 anos, que foi encontrada morta no dia 18 de agosto, com sinais de tortura e um arame farpado enrolado no pescoço.

Os corpos das vítimas foram localizados com seis dias de diferença e a polícia investiga qual a motivação para os crimes e se eles podem ter relação. A família de Emanoele afirmou não saber o que pode ter acontecido. Somente, contaram que a jovem e a melhor amiga, que foi encontrada morta no dia 18 de agosto, cresceram juntas no bairro e chegaram até mesmo a dividir a casa por cerca de quatro meses.

Os crimes

Ariane foi encontrada morta no dia 18 de agosto, bastante machucada, com sinais de tortura e um arame farpado enrolado no pescoço. O corpo da jovem foi localizado na área rural de Almirante Tamandaré, quando um morador da região, nas proximidades da Vila Prado, saia para trabalhar.

Já Emanoele foi assassinada com um tiro no pescoço. A jovem foi encontrada morta pela amiga com quem morava, também em Almirante Tamandaré. Segundo moradores da região, o namorado da vítima tinha ido passar o fim de semana com ela, mas o homem ainda não procurou a polícia para prestar esclarecimentos.

Informações do 'RIC Mais'

Notícias Relacionadas »