30/08/2021 às 10h15min - Atualizada em 30/08/2021 às 10h15min

VÍDEO: Liderança dos caminhoneiros convoca PG a apoiar paralisação de 7 de Setembro

Segundo os organizadores, manifestação "não é só dos caminhoneiros, mas de toda a população"; confira os detalhes

Da redação
Foto: Divulgação
O caminhoneiro Zé do Trovão, um dos principais organizadores da manifestação pelo impeachment dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e pela adoção do voto auditável, prevista para ocorrer no dia 7 de setembro próximo, divulgou um vídeo, neste domingo (29), convocando os ponta-grossenses a apoiarem a paralisação da categoria.

"Lembrando a todos que, no dia 7 de setembro, às 6h, o entroncamento de Ponta Grossa já estará totalmente paralisado com as barreiras dos caminhoneiros. Vamos para lá, vamos ajudar o povo, vamos nos manifestar e colocar o nosso país no eixo", afirma Marcos Antônio Pereira Gomes, nome real do caminhoneiro, em vídeo publicado nas redes sociais. 

Um dos parceiros de Trovão na organização, o caminhoneiro Marinaldo Machado explica que serão realizados três bloqueios no entroncamento rodoviário do município, em locais que ainda serão definidos. Segundo ele, haverá bloqueios parciais em todas as rodovias do país, podendo se intensificar após 72 horas. 

"Nas 72 horas iniciais, terão livre passagem os automóveis, ambulâncias, veículos transportando materiais hospitalares, viaturas de polícia, Corpo de Bombeiros, caminhões com carga viva, perecível ou ração, bem como os ônibus de caravanas que estarão indo ou voltando de Brasília ou de São Paulo", detalha. 

De acordo com os organizadores, a manifestação funcionará de duas formas. Uma será em Brasília, onde caravanas de todo o país se concentrarão, e outra será nos próprios municípios e estados, nos pontos de paralisação escolhidos pelos caminhoneiros.

"O movimento não é uma parada dos caminhoneiros, mas, sim, de toda a população brasileira, com o apoio dos caminhoneiros. Está prevista na Constituição Federal e será uma mobilização pacífica", destaca Machado. 

Confira o vídeo divulgado por Trovão nesta segunda-feira, nas redes sociais do movimento Transporte Forte (se preferir, vire o celular na horizontal para uma melhor visualização):




Alvo de operação 

A casa de Zé Trovão foi alvo de buscas da Polícia Federal (PF) na manhã do último dia 20 (sexta-feira). Em vídeo publicado nas redes sociais, Trovão informou que o mandado de busca e apreensão cumprido pela PF fora expedido pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF. Segundo o caminhoneiro, ele foi intimado a comparecer, às 14h do mesmo dia, na PF de sua cidade, Joinville (SC). 

"Sou um pai de família e estou lutando pelo meu país, estou lutando por todos os brasileiros de bem, pais e mães de família, e por essa juventude que precisa viver em um país melhor. Nada disso me assusta. Mas, independente de qualquer coisa, eu vim fazer este vídeo para dizer a todos vocês: não desistam", afirmou o caminhoneiro. 

Atualmente, Trovão encontra-se em lugar desconhecido e está proibido de ter acesso a telefones celulares e computadores. Assista ao vídeo publicado por ele no dia em que foi alvo de operação da PF (se preferir, vire o celular na horizontal para uma melhor visualização)




Tudo parado

Zé Trovão esteve em Ponta Grossa no último dia 19 (quinta-feira), um dia antes de ser alvo de operação da PF, em um evento exclusivo voltado a empresários do agronegócio e profissionais do setor de transporte, para falar sobre a paralisação da categoria. 

Segundo Trovão, o movimento Sete de Setembro, como ficou conhecido, será marcado por uma paralisação ao nível nacional. Às 6h do dia 7, as pistas de todo o país deverão estar paradas. Caminhões não poderão rodar "de maneira nenhuma", disse o organizador. Carros, ônibus, ambulâncias e demais veículos menores poderão circular normalmente.

A organização estará presente em Brasília já no dia 6, para recepcionar caravanas de todo o país. Na estimativa de Trovão, mais de 1 milhão de pessoas devem se reunir na Praça dos Três Poderes e se concentrar no Parque Leão. Em seguida, no dia 7, os manifestantes sairão em uma "caravana monumental", e no dia seguinte, 8, entregarão nas mãos do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, um novo pedido de impeachment dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). 

"Nós daremos 72 horas para ele votar o impeachment de todos. E não é ‘pensar’ se vai votar. É votar o impeachment. Caso ele não nos atenda, nós chamaremos o presidente da República para uma conversa no meio do povo brasileiro. Nós vamos fazer ali um lugar reservado, claro, mas que a gente vai colocar ao vivo para o Brasil inteiro saber o que nós estamos falando para o presidente e qual é a ordem. Porque nós não estamos pedindo. Nós estamos dando uma ordem", explicou Trovão. 

Segundo o caminhoneiro, além do impeachment dos ministros do STF, o movimento pedirá a contagem pública dos votos para as próximas eleições. "Nós queremos a impressão e a contagem dos votos, para que fique todo mundo ciente de que ‘eu’ votei no Fulano de Tal e que o meu voto foi para essa pessoa", mencionou. 

Na entrevista a seguir, gravada com exclusividade para o portal NCG, Trovão deu mais detalhes sobre a manifestação (se preferir, vire o celular na horizontal para uma melhor visualização)



 
Notícias Relacionadas »