31/08/2021 às 06h39min - Atualizada em 31/08/2021 às 06h39min

Fofinhas e carismáticas, mascotes conectam empresas e consumidores

Marcantes e simpáticas, as mascotes estão presentes na comunicação de marcas de diversos segmentos e tamanhos. Conheça um pouco da história dessas fofuras e do motivo por que elas são tão importantes para uma empresa

Da redação
Foto: Divulgação
Você sabe o que o palhaço Mc Donalds, o tigre da Kelloggs e o franguinho da Sadia têm em comum? Todos são mascotes criadas por suas respectivas marcas para interagir e aumentar a identificação com o público. Mascotes são personagens – que podem ser animais, pessoas e até objetos – idealizadas para representar visualmente uma marca e estabelecer uma comunicação com os consumidores. São figuras carismáticas que conectam empresa (ou entidade, órgão, entre outros) e público.

Historicamente, a mascote era vista como um símbolo de boa sorte. O termo original, do francês “Mascotte”, significava justamente “Amuleto da sorte”. E talvez por isso tenha se tornado tão popular entre clubes de futebol e eventos esportivos em geral. Com o passar do tempo, as marcas também passaram a adotar a estratégia.
Ter um personagem que é “a cara” da empresa ajuda a criar vínculo com o público através da empatia, humor, inteligência, simpatia e carisma, além de ativar a memória de forma agradável e rápida. Além disso, ao ter uma mascote como porta-voz, a comunicação torna-se mais humanizada e agradável.

Em Ponta Grossa 

Sabendo dessa importância, grandes empresas vêm investindo cada vez mais em mascotes interativas, aquelas presentes em vários canais de comunicação e que ganham vida em determinadas situações, como é o caso da famosa Xicória, da Lojas MM, sediada em Ponta Grossa. Personagem criada em 2004, em homenagem à cachorrinha Beagle da família Pauliki, fundadora do Grupo MM, a mascote passou por uma repaginação recentemente e ressurgiu em uma versão mais realista e fofinha – e ainda ganhou voz, tornando-se mais marcante e simpática. 


Agora, além de marcar presença em banners ou flyers da empresa, a Xicória também fala sobre assuntos de interesse social, como interação, descontração, aceitação, meio ambiente, qualidade de vida, tecnologia, música e cuidados com a saúde. Isso sem contar na presença garantida em ações e partidas do Operário Ferroviário Esporte Clube (OFEC) e da Caravana da Xicória, onde incentiva a adoção de animais em parceria com petshops. Para saber mais sobre a personagem, confira a matéria que o portal NCG realizou sobre a mascote. 

Laços afetivos 

Um dos principais motivos por que empresas de todos os lugares e tamanhos adotam as mascotes como parte importante de sua estratégia de marketing consiste no fato de que a mascote aproxima a empresa do consumidor, que acaba criando laços afetivos com o personagem. “As mascotes se tornam familiares na vida das pessoas, construindo, dessa maneira, uma relação que vai além dos cartazes, das marcas, dos produtos, para fazer parte da cultura cotidiana”, explica Clotilde Perez, autora do livro Mascotes: semiótica da vida imaginária (Cengage Learning, 2019), em entrevista ao site ‘Mundo do Marketing’.

Notícias Relacionadas »