20/09/2021 às 16h24min - Atualizada em 20/09/2021 às 16h24min

Regional de PG começa a receber doses de reforço contra a COVID

Doses de reforço devem ser aplicadas a partir desta terça (21) ou quarta (22), diz 3ª Regional de Saúde

Da assessoria
Foto: Divulgação
Com a ajuda das vacinas contra a COVID-19 que o Paraná recebeu neste sábado (18) e domingo (19), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) dará início a mais uma etapa da campanha de vacinação com a aplicação das doses de reforço (terceira dose). Receberão essas doses indígenas com mais de 70 anos, imunossuprimidos (pessoas que passaram por um transplante ou pacientes que têm HIV, por exemplo) de 18 a 59 anos, e idosos acima de 70 anos e imunussuprimidos, desde que com o esquema vacinal completo há mais de seis meses.

Do novo lote que chegou ao estado, a 3ª Regional de Saúde, que abrange Ponta Grossa e mais 11 municípios da região dos Campos Gerais, recebeu hoje (20) um total de 36.949 doses. Desse montante, 2.034 são para primeira dose de Pfizer; 9.630 são para segunda dose de Pfizer; 11.690 são para primeira dose de CoronaVac; 4.355 são para segunda dose de AstraZeneca; 2.286 são para a dose de reforço do público com mais de 70 anos (Pfizer); e 6.954 são para dose de reforço de imunossuprimidos (Pfizer). 

APLICAÇÃO – De acordo com o diretor-chefe da 3ª Regional de Saúde, Robson Xavier da Silva, as doses de reforço devem ser aplicadas a partir desta terça (21) ou quarta-feira (22). 

ADOLESCENTES – O secretário estadual de Saúde, Beto Preto, disse que nesta terça-feira (21), em reunião com o Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), o Paraná vai fechar uma decisão conjunta sobre a vacinação dos adolescentes. Na última quarta-feira (15) o Ministério da Saúde emitiu Nota Técnica recomendando a vacinação apenas para adolescentes entre 12 e 17 anos que tenham deficiência permanente, comorbidades ou estejam privados de liberdade.

“É importante ressaltar que o Paraná continua seguindo o PNI, mas, ao mesmo tempo, dialogamos com o Ministério da Saúde e cobramos que, o quanto antes, se realize a vacinação dos adolescentes sem comorbidades”, enfatizou.

Notícias Relacionadas »