24/09/2021 às 15h08min - Atualizada em 24/09/2021 às 15h08min

Tratamento não-invasivo para pedra nos rins promete recuperação mais rápida

Procedimento não necessita de internação e é tão seguro quanto a cirurgia

Da assessoria
Foto: Divulgação
Muitos brasileiros sofrem com os temidos cálculos renais, ou “pedra nos rins”. De acordo com dados trazidos pelo 'Portal da Urologia', estima-se que um a cada dez brasileiros sofram com o problema. Dr. Fábio Sepúlveda, membro do departamento de Endourologia e Calculose da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), explica que a condição é frequente em pessoas de 20 a 35 anos e mais diagnosticada em homens do que mulheres. 

Entre os principais fatores para o desenvolvimento de cálculos renais está a falta de hidratação e consumo exagerado de sódio, que aumenta a produção de cálcio, fósforo, ácido úrico e oxalato, que podem provocar o surgimento de pedras nos rins. Em casos mais graves, quando os remédios não são suficientes para que o paciente consiga expelir os cálculos na urina, é necessário passar por um procedimento mais invasivo, com cirurgias abertas. 

Uma opção ambulatorial (sem necessidade de anestesia, internação ou incisões) pode ser utilizada para o tratamento de cálculos até 20mm com grandes taxas de sucesso. Especializada em Urologia, a Clínica UroSaúde, que atua em Ponta Grossa desde 2007, é referência no tratamento de cálculos renais na cidade. 

Fabiano Bittencourt, diretor da UroSaúde, explica que o procedimento nomeado de ‘Litotripsia Extracorpórea (LECO)’ trata-se de um procedimento ambulatorial que diminui ou quebra totalmente as pedras através das ondas de alta energia que penetram pelos tecidos. “Através de ondas eletromagnéticas direcionadas, as pedras são quebradas em pequenos pedaços e saem facilmente pela urina”, explica.

A facilidade do procedimento também está na recuperação, pois o procedimento não necessita de internação e é mais seguro do que a cirurgia. “Em casa, o paciente deverá permanecer em repouso por dois a três dias e tomar muito líquido. O retorno ao consultório acontecerá, em média, 20 dias após a litotripsia”, informa Fabiano. Ainda segundo o diretor, qualquer pessoa pode realizar o procedimento. “Desde que indicado por um médico especialista, as únicas restrições absolutas são: gravidez e distúrbios de coagulação”, finaliza.

Serviço

Clínica UroSaúde


Redes Sociais: Instagram e Facebook  

Telefone: (42) 3235-4407

Endereço: Rua Ricardo Lustosa Ribas, 167





 
Notícias Relacionadas »