30/09/2021 às 10h53min - Atualizada em 30/09/2021 às 10h53min

Transporte coletivo de PG pode entrar em greve na próxima semana

Segundo presidente do sindicato que representa a categoria, VCG tem até a próxima terça-feira (5) para resolver a situação

Da redação
Foto: Reprodução
O presidente do sindicato que representa a categoria dos trabalhadores do transporte coletivo de Ponta Grossa, Luiz Carlos de Oliveira, o Luizão, realizou uma live na manhã desta quinta-feira (30) para comentar o possível parcelamento do salário dos trabalhadores, anunciado nesta quarta-feira (29) pela Viação Campos Gerais (VCG).

Na transmissão, Luizão afirmou que entrou em contato com a diretoria da concessionária e que foi informado de que o parcelamento ainda não está totalmente certo. Segundo relatado pelos diretores, ainda há a possibilidade de que a situação seja resolvida até a próxima quarta-feira (6), data prevista para a realização do pagamento dos salários. 

No entanto, caso não seja realizado até esse dia, o sindicalista afirma que “decisões difíceis” serão tomadas, pois “não vamos aceitar mais uma vez esse parcelamento nas costas dos trabalhadores”. O presidente da entidade não descarta, inclusive, a deflagração de uma nova greve. “Muito provavelmente cruzaremos os braços em outra greve”, afirmou. 

“A entidade sindical não autoriza o parcelamento, os trabalhadores não autorizam o parcelamento. Portanto, nós entraremos em embate, sim, se o pagamento não for realizado até o dia 6. Ações serão tomadas. (…) Esperamos que, até as 17h do dia 6, o pagamento esteja na conta de todos. Mas, se não tiver, na quinta-feira [7] nós já vamos ver quais ações serão tomadas”, declarou.  

Confira a live




Parcelamento 

A VCG emitiu um comunicado, na tarde de ontem (29), em que admite a possibilidade de voltar a parcelar o salário dos colaboradores. Segundo a empresa, o salário de outubro poderá ser pago em duas parcelas, a primeira no dia 6 e a segunda até o dia 25. 

Entre os motivos alegados pela empresa, estão a redução em 50% do número de passageiros em virtude da pandemia de COVID-19; a tarifa “totalmente defasada” (o valor pago pelos usuários atualmente tem por base fevereiro de 2019, ou seja, um época anterior à pandemia); o período em que o serviço ficou suspenso em razão de decretos municipais; e, por fim, a falta de “medidas efetivas” para que a empresa possa operar em equilíbrio. 

“A gravidade da situação não passou. Estamos mês a mês atrasando diversos compromissos para manter os salários em dia, mas muito provavelmente no próximo dia 6 não teremos condições de arcar com o valor integral da nossa folha. Por essa razão, comunicamos a todos que há uma grande chance de que, nesse mês, a nossa folha seja novamente parcelada”, afirmou a empresa.

A concessionária destacou, no entanto, que fará “todos os esforços” para que o atraso seja de menos dias, para tornar a situação “menos gravosa” aos colaboradores. “Sentimos profundamente em comunicar essa situação, mas, de fato, todas as alternativas para obtenção de recursos se esgotaram e não há outra opção neste momento. Esperamos que, em breve, o sistema seja equalizado e tudo volte a normal, para todos”, concluiu. 

Confira o comunicado na íntegra: 

A Viação Campos Gerais vem enfrentando a pior crise da sua história, em virtude da pandemia do COVID-19 e isso já é de conhecimento de vocês. 

Nos últimos meses, todos temos vivenciado a dificuldade de  manter a operação diária de nossa frota, especialmente por uma somatória de fatores.

A pandemia retirou do sistema cerca de 50% dos passageiros nos últimos meses, chegando ao pico de perca de passageiros de 77%, no momento mais grave da pandemia no mesmo passo que somos obrigados a manter a frota operante, determinada pelo Poder Concedente.

Só este fator já torna tudo extremamente difícil de equalizar, porém outros diversos fatores vem tornando a operação totalmente desequilibrada e insustentável há muitos meses, seja pela tarifa tarifária totalmente defasada (os valores hoje pagos pelos usuários tem por base fevereiro de 2019), fomos obrigados a paralisar totalmente nossa operação por semanas, os veículos tem rodado milhares de quilômetros vazios e nenhuma medida efetiva tem sido tomada para que a empresa possa operar em equilíbrio.

Sabemos que vocês todos têm se esforçado diariamente para que possamos manter nossa operação em andamento, mesmo nos momentos mais agudos em que os salários foram parcelados e verbas trabalhistas atrasaram. Está situação é extremamente penosa para nós que por décadas não só cumprimos rigorosamente com todas as obrigações como sempre agimos com total responsabilidade para com o time VCG.

Mas novamente precisamos comunicar que a gravidade da situação não passou, que estamos mês a mês atrasando diversos compromissos para manter os salários em dia, mas que muito provavelmente no próximo dia 06/10/2021 não teremos condições de arcar com o valor integral da nossa folha.

Por esta razão, comunicamos a todos que há uma grande chance de que neste mês nossa folha seja novamente parcelada, sendo parcialmente paga no dia 06/10/2021, e o restante será pago até o dia 25/10/2021. 

Porém faremos todos os esforços para que o atraso seja de menos dias, para tornar a situação menos gravosa a vocês.

Sentimos profundamente em comunicar esta situação, mas de fato todas as alternativas para obtenção de recursos se esgotaram, e não há outra alternativa neste momento, inclusive com o déficit tarifário que vocês já têm conhecimento. 

Esperamos que em breve o sistema seja equalizado, e tudo volte a normal, para todos.

Notícias Relacionadas »