11/10/2021 às 13h53min - Atualizada em 11/10/2021 às 13h53min

Uso de crack, ameaça de suicídio e tensão: veja detalhes do resgate deste domingo (10) em PG

Homem foi detido por tentativa de roubo, lesão corporal e violação de domicílio após operação que durou mais de quatro horas

Da redação
Foto: Divulgação
Durante cerca de quatro horas, moradores, soldados da Polícia Militar (PM) e equipes do 2º Grupamento de Bombeiros (2º GB) viveram momentos de tensão na rua Dr. Penteado de Almeida, região central de Ponta Grossa, neste domingo (10). 

Segundo a PM, um homem de 42 anos, armado de um martelo, invadiu uma obra por volta das 14h e, durante o assalto, feriu o mestre de obras na região do peito. Vendo a cena, populares tentaram conter o suspeito, que conseguiu fugir e subir no telhado de uma casa. 


Por volta das 14h30, uma empresa de vigilância acionou a PM, que, após chegar ao local, solicitou apoio ao 2º GB. Seis bombeiros, uma ambulância do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (SIATE) e caminhões foram colocados em ação.

Do alto do telhado, o indivíduo arremessava pedaços de telhas e tijolos sobre pessoas e veículos que passavam pela rua – incluindo a própria PM. Para impedir que os pedestres deixassem o suspeito mais agitado, os policiais isolaram o local.

“Apesar disso, algumas pessoas que passavam por ali, mesmo distantes, xingavam e instigavam o indivíduo a pular da residência, fazendo ele se alterar ainda mais”, explica um oficial do 2º GB, em áudio encaminhado à imprensa nesta segunda-feira (11).

O suspeito, conforme o oficial, estava “claramente” sob o efeito de entorpecentes e chegou a fazer uso de crack no telhado em determinado momento. Além disso, ele passou um fio de antena ao redor do pescoço e ameaçou se jogar do alto várias vezes. 

Vencendo a resistência do indivíduo à aproximação dos bombeiros, o 2º GB começou a ganhar a confiança do suspeito, que alternava momentos de agitação e calma. Aos poucos, o Subtenente Amauri se aproximou do homem e começou a negociar a sua rendição.

“Ele se mostrava muito instável, mas, com paciência, ganhamos a confiança dele e conseguimos nos aproximar mais, até que em certo momento, após mais de três horas, ele cedeu e decidiu descer por conta própria”, relata o oficial.

Uma vez no solo, o homem foi levado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Santana e, em seguida, encaminhado à 13ª Subdivisão Policial (SDP) sob a acusação de tentativa de roubo, lesão corporal e violação de domicílio. Já eram cerca de 18h.

Notícias Relacionadas »