10/03/2021 às 12h01min - Atualizada em 10/03/2021 às 12h01min

Com auxílio da ACIPG, entidade elabora ações para "blindar" comércio contra fechamentos

Iniciativa busca, entre outras coisas, ajudar os comerciantes a se precaverem judicialmente de ações que venham a impedir o funcionamento das lojas

Da assessoria
Foto: Divulgação / ACIPG
Um comitê formado por diferentes entidades ligadas ao comércio e setor produtivo foi criado com o objetivo de auxiliar o empresariado de Ponta Grossa e da região, após a determinação de medidas que limitam a atuação dos lojistas no Estado. A iniciativa da Coordenadoria das Associações Comerciais, Industriais do Centro do Paraná (CACICPAR) conta com o apoio da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG), e estuda uma série de ações para proteger os comerciantes.

A medida, explica a CACICPAR, visa blindar o comércio mediante a imposição de medidas restritivas ao setor, bem como se precaver judicialmente de ações que venham a impedir o funcionamento das lojas. O comitê pretende fazer um levantamento de dados, laudos, pareceres e análises a respeito da pandemia no Estado, os impactos sanitários e econômicos causados por ela, para embasar argumentos e eventualmente contestar decisões que venham a prejudicar os empresários. "A formação desse comitê tem como principal objetivo fornecer estudos sanitários, técnicos, econômicos e sociais, regionais e confiáveis que possibilitem ser fonte de consulta, possibilitando maior assertividade em relação à pandemia na tomada de decisões", explica Lino César Castanho Lopes, presidente da CACICPAR. "Também existe a possibilidade de questionamentos jurídicos em relação à própria legalidade de um lockdown seletivo, e sem metas a serem atingidas que justifiquem esta imposição" complementou.

A ACIPG integra este comitê e acredita na união de forças para a proteção dos comerciantes, contribuindo nas tomadas de decisões. "Nós queremos blindar o comércio, resguardar de maiores danos, fazendo essa judicialização, caso o comércio venha a sofrer maiores danos. Estamos ingressando no comitê da CACICPAR para atuar de uma maneira bem contundente caso a gente venha a sofrer ainda mais prejuízos. É uma união dos nossos esforços para amenizar a dor do nosso empresariado", comenta a Diretora de Comércio da ACIPG, Flavia Barrichello.

O levantamento de dados é essencial dentro das ações determinadas pelo comitê criado pela CACICPAR, bem como estudos e sugestões de medidas que venham a auxiliar na contenção da contaminação da população, sempre com o objetivo final de poupar o comércio de prejuízos ainda maiores. "Inicialmente pretendemos focar em levantar os números da região em relação à pandemia, na questão de prevenção e também em estrutura de leitos, UTIs, vacinação. Também pretendemos levantar os números ligados ao emprego e renda, prejuízos econômicos causados pelo lockdown, a efetividade ou não do mesmo em relação à pandemia. Medidas como ampliação de horários de atendimento, transporte público com regras rígidas de uso, sugestões de medidas que evitem e punam aglomerações também devem ser apontadas", comentou o presidente da CACICPAR.

A ACIPG deve ter papel decisivo no comitê recém-criado, auxiliando na elaboração destes estudos e no levantamento destas informações. "A ACIPG tem um papel fundamental nesse comitê, por se tratar de ser a maior associação comercial da região e contar com recursos humanos qualificados e diversificados em sua estrutura. Contamos com esse apoio fundamental para esse grande trabalho a ser desenvolvido por todos e para todos, que é justamente o espírito do associativismo", disse Lino Lopes. O presidente da ACIPG, Douglas Fanchin Taques Fonseca, reforçou a disposição da entidade em colaborar com uma iniciativa importante como esta. "Somos parceiros da CACICPAR nessa iniciativa, promovendo a união de esforços para atuar em um assunto tão importante, e ajudar o empresariado de Ponta Grossa e da região", finalizou o presidente da ACIPG.

Notícias Relacionadas »