10/03/2021 às 14h28min - Atualizada em 10/03/2021 às 14h28min

"Eu continuo sendo o verdadeiro Superman", provoca Marcio Ferreira, após juíza negar pedido de advogado de PG

Aldebaran Luiz Von Holleben havia entrado com notificação judicial à Warner Bros para ser reconhecido como “Superman do Brasil”

Por Diego Ricardo
Foto: Tony Olliver
Nesta quarta-feira (10), a juíza de Direito Substituta da 7ª Seção Judiciária de Ponta Grossa, Erika Watanabe, indeferiu o reconhecimento do advogado Aldebaran Luiz Von Holleben como "Superman do Brasil". 

O ponta-grossense havia ingressado com uma notificação judicial dirigida ao estúdio americano Warner Bros para ser reconhecido como a versão brasileira do Homem de Aço por conta de uma história que, bem, é melhor você ler aqui

Toda a argumentação não convenceu a juíza. Ela afirma que a prestação jurisdicional precisa se apresentar como justa e adequada, e que este não 
foi o caso. Além disso, acrescenta que o advogado possui outros meios para entrar em contato com a Warner Bros para resolver a situação. 

"Eu continuo sendo o verdadeiro Superman", provoca o ex-secretário municipal de Obras Marcio Ferreira (foto). "Para quem já enfrentou o Lex Luthor, Darkseide e o Apocalipse, esse advogado, o Aldebaran, foi o menor e o mais frágil", brinca Ferreira, fazendo referência aos inimigos do herói de Krypton, em entrevista ao portal NCG.news. 

Em sua petição, Aldebaran alegava que, caso outro brasileiro encarnasse o herói da DC Comics, ele apresentaria embargos contra o estúdio, pois havia adquirido "direitos" sobre o personagem. E agora, Marcio Ferreira? 


 
Notícias Relacionadas »