10/11/2021 às 15h48min - Atualizada em 10/11/2021 às 15h48min

Co-vereadora Josi do Coletivo critica Bolsonaro e Elizabeth

Parlamentar afirma que visita do presidente foi "sem objetivos relevantes" e que prefeita caiu em "engodo" ao pedir o fim do Parque Nacional dos Campos Gerais

Da assessoria
Foto: Divulgação
A co-vereadora Josi do Coletivo usou a tribuna da Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG), na sessão desta quarta feira (10), para manifestar críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que esteve na região dos Campos Gerais no último final de semana. A co-vereadora caracterizou a visita do presidente como "sem objetivos relevantes para superar a crise generalizada em que vive o país se encontra".

Josi também destacou a importância do 'Ato Regional Vaza Bolsonaro', construído por inúmeros partidos políticos, movimentos sociais, sindicatos, coletivos e demais entidades sociais. "Várias organizações de trabalhadores e trabalhadoras organizaram uma bela manifestação, o povão mesmo estava ali, pois não aguenta mais ver brasileiros revirando lixo para comer", disse a co-vereadora.

A parlamentar finalizou criticando a postura da prefeita Elizabeth Schmidt (PSD), que, aproveitando a presença de Bolsonaro no município, reivindicou o fim do Parque Nacional dos Campos Gerais. "A prefeita caiu no engodo da deputada bolsonarista Aline Sleutjes [PSL], e de mais uma meia duzia de interessados, e pediu ao presidente o fim do Parque Nacional dos Campos Gerais, alterando a classificação dessa unidade de conservação para monumento nacional", comentou Josi. 

Na visão da co-vereadora, o pedido é absurdo por vários motivos. "Primeiro: pelo desconhecimento total da prefeita sobre o assunto. Saiba, prefeita, que o presidente não altera a classificação de Unidades de Conservação, essa é uma atribuição do Congresso Nacional. Segundo: 20% da Bacia do Pitangui é parque. Ou seja, a qualidade da água dos ponta-grossenses depende da conservação do parque. Ao invés de pedir coisas que nem são de competência do presidente, a prefeita deveria pedir ao presidente que investisse no parque. Inclusive, vários proprietários querem a desapropriação de suas terras e já pediram isso ao ICMBio. Estamos passando por uma crise hídrica em todo o país. Com eventos climáticos extremos mais frequentes, como os períodos de seca que enfrentamos, só a conservação dos mananciais pode garantir que o nível dos reservatórios de água, como a represa do Alagados, se mantenha estável, sem variações bruscas. Assim poderemos ter água em abundância e de qualidade", afirmou. 

Notícias Relacionadas »