24/11/2021 às 10h25min - Atualizada em 24/11/2021 às 10h25min

Extinção da AMTT pode comprometer investimentos no trânsito, afirma ACIPG

De autoria do Executivo, Projeto de Lei que propõe a extinção do órgão foi aprovado na última segunda-feira (22) pela Câmara Municipal

Da redação
Foto: Divulgação
A Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG) afirma, em nota enviada à imprensa nesta quarta-feira (24), que se posiciona contrariamente à proposta de extinção da Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes (AMTT), aprovada pela Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG) na última segunda-feira (22). 

O Projeto de Lei (PL) do Executivo, aprovado em primeira discussão pela CMPG, propõe uma reforma administrativa que inclui a extinção da AMTT. Segundo o PL, o órgão passaria à Secretaria Municipal de Cidadania e Segurança Pública os serviços de fiscalização do trânsito e do Estar Digital, enquanto os serviços de fiscalização do transporte coletivo e individual de passageiros ficariam sob responsabilidade da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Planejamento.

No entendimento da ACIPG, essa mudança pode significar o comprometimento dos investimentos no trânsito de Ponta Grossa. Caso a extinção da AMTT seja oficializada, o orçamento que o órgão tem à sua disposição, no caso R$ 44 milhões ao ano, passaria aos domínios da administração municipal e às respectivas secretarias que assumiriam as ações do órgão. 

"A associação teme que, com o fim do órgão regulador e fiscalizador do trânsito, esses R$ 44 milhões acabem tendo destinação que não seja o trânsito de Ponta Grossa, uma área tão sensível e que cada vez mais carece de cuidados e investimentos. Por isso, a forma mais adequada de se aplicar esses R$ 44 milhões integralmente no trânsito de nosso município, no entendimento da ACIPG, seria com a manutenção da AMTT", diz a entidade. 

Notícias Relacionadas »