01/12/2021 às 16h47min - Atualizada em 01/12/2021 às 16h47min

Prefeito de Curitiba vai pedir aporte a Bolsonaro para manter tarifa de ônibus "justa e social"

Em agosto, segundo a Urbs, a tarifa técnica chegou a R$ 8,11

Foto: Ricardo Marajó / SMCS
O prefeito Rafael Greca anunciou, nesta quarta-feira (1), que irá pedir ao presidente Jair Bolsonaro um aporte federal para viabilizar o transporte coletivo de Curitiba. A iniciativa se dá diante do alto preço dos combustíveis, que elevaram a tarifa técnica da capital paranaense para cerca de R$ 7.

Durante a fala, que aconteceu em sessão na Câmara Municipal, Greca informou que essa não é uma preocupação apenas de Curitiba.

“Na próxima quarta-feira (8), eu irei a Brasília conversar com o Artur Lira e o Rodrigo Pacheco [presidentes da Câmara dos Deputados e Senado], e também estamos pedindo audiência com o presidente Bolsonaro, porque a Frente Nacional de Prefeitos e todas as organizações municipalistas veem com grande apreensão o futuro do transporte coletivo, ainda mais no quadro gravíssimo do petróleo internacional. Então, é muito importante que exista um aporte federal para o transporte coletivo, coisa que o Brasil já deveria ter feito no início da pandemia”, disse.

Tarifa de Ônibus

Em agosto, segundo a Urbs, a tarifa técnica chegou a R$ 8,11. Ajustes feitos nas contas, porém, teriam possibilitado a redução para pouco mais de R$ 7. A tarifa paga pelo usuário hoje é de R$ 4,50.

Segundo Greca, o transporte é um desafio para 2022. “É um desafio a viabilidade de uma tarifa justa e social. Com economias feitas pela Urbs, foi possível chegar a uma tarifa técnica de aproximadamente R$ 7, mas se não tivéssemos feito o plano de emergência do transporte, teríamos entrado em colapso”, afirmou.

Um eventual reajuste na tarifa deve ser discutido apenas no ano que vem, principalmente após a convenção coletiva de motoristas e cobradores.

Com informações da 'Banda B' 



Notícias Relacionadas »