03/03/2022 às 15h27min - Atualizada em 03/03/2022 às 15h27min

Mabel pede que Governo do Paraná ajude outros municípios com verba para o transporte coletivo

Governo do Estado concedeu 60 milhões para Curitiba e deve aportar mais 16 milhões por mês até o final do ano para a região metropolitana

Da assessoria
Foto: Divulgação
Em sessão plenária desta quarta-feira (02), na Assembleia Legislativa do Estado do Paraná (ALEP-PR), a Deputada Estadual Mabel Canto (PSC), falou sobre o subsídio que o Governo do Estado encaminhará ao transporte coletivo de Curitiba e região metropolitana. Parte do valor, cerca de 20 milhões, são oriundos de devolução de valores do orçamento da ALEP. Mabel pede que outras regiões do Paraná também recebam subsídios, gerando igualdade entre a destinação de verbas.

Mabel Canto, através de requerimento, propõe que o Governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), adote medidas de promoção de subsídios às concessões de transporte público de cidades do Paraná com mais de 300 mil habitantes, para que todos os municípios possam ter acesso a recursos, e não apenas uma parte do Estado. "Não somos contra o subsídio para a capital e região metropolitana, mas queremos que outras cidades do interior do Paraná, também possam ter direito aos recursos para o transporte coletivo. Porque só Curitiba e não outras cidades? Precisamos de igualdade e isonomia na distribuição destes subsídios, afinal, muitos municípios tem problemas no transporte coletivo", disse.

No ano de 2019, a Deputada Mabel Canto apresentou projeto de lei, junto aos deputados, Goura, Evandro Araújo, Márcio Pacheco, Tercílio Turini e Arilson Chiorato, a fim de regulamentar a concessão de recursos para subsídios tarifários aos serviços de transporte público coletivo para os demais municípios do Estado, projeto que foi retirado por diligência à SEFA para emissão de parecer sobre a viabilidade do projeto, o qual até hoje não retornou aos debates na Casa de Lei. Em 2021, Mabel já havia protocolado pedido que requeria a destinação de subsídio financeiro à Ponta Grossa, com o fim de impedir o reajuste da tarifa de transporte coletivo do referido munícipio, o qual não foi atendido pelo Governo do Estado, levando ao consequente aumento da passagem.

Segundo Mabel, em muitas cidades do Estado, a queda da demanda de passageiros foi cerca de 80%, enquanto que a readequação da oferta ocorreu em níveis muito menores. "Isso ocorre porque a oferta, mesmo que reduzida em alguns municípios, precisa atender a população ao longo de todo o dia e em todas as regiões da cidade. Ademais, é preciso manter um nível de oferta para reduzir o número de passageiros por veículo, visando evitar aglomerações", explica.

Ainda de acordo com o requerimento, grande parte dos municípios não tem condições de aportar recursos para fazer frente às despesas com o transporte coletivo onde esse desiquilíbrio poderá representar a total incapacidade das empresas operadoras de cumprir, em curto prazo, com os compromissos relativos ao pagamento dos salários dos trabalhadores e do combustível.

Mabel espera que o Governo do Estado beneficie os demais municípios do Paraná, onde cada um com sua devida importância social e econômica para o Estado, da mesma forma que a capital, merecem a atenção e dispêndio de recursos para seus respectivos sistemas de transporte coletivo.

Link
Notícias Relacionadas »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Fale com NCG News!