10/08/2022 às 15h12min - Atualizada em 10/08/2022 às 15h12min

OrganoZero Compostagem inicia operações em Ponta Grossa

Unidade é uma das mais tradicionais do estado, em operação há mais de 10 anos, e passa agora à administração da Zero Resíduos

Da assessoria
Foto: Divulgação
Cada vez mais as empresas, sejam elas indústrias, comércios ou prestadores de serviços, vêm buscando opções mais nobres para destinação final de seus resíduos. O que antes poderia ser tratado como um mero rejeito de uma atividade empresarial agora é visto como matéria prima, e deve-se procurar o máximo de reutilização, reuso e reaproveitamento. 

Com esse foco, a Zero Resíduos, empresa especializada em gerenciamento e destinação final de resíduos, vem expandindo e inovando suas atividades a cada ano.

A novidade agora está na incorporação de uma nova opção de destinação final para a região, com a OrganoZero Compostagem. O empreendimento, que era operado pela empresa Kossatz Agricultura (do Grupo K2 Agro), trata-se da mais tradicional usina de compostagem dos Campos Gerais e uma das maiores unidades do estado.

Este empreendimento já vem operando há mais de 10 anos com a compostagem em larga escala e é referência em tratamento de resíduos orgânicos, com uma extensa carteira de clientes e a produção de um composto orgânico de qualidade, sendo que 100% da produção é aplicada em áreas de lavoura.

Como funciona a compostagem?

A compostagem ocorre através de um processo biológico de degradação da matéria orgânica. Ou seja, os microrganismos, como fungos e bactérias, transformam esse tipo de resíduo em um novo material, o adubo. 
Portanto, o processo de compostagem transforma passivos ambientais em um produto de alto valor agregado, que permite devolver ao meio ambiente os nutrientes e elementos dele retirados, fechando, desta forma, o ciclo da sustentabilidade.

O processo produtivo da unidade de compostagem começa com a recepção, onde o resíduo é pesado e identificado.

Em seguida, é feito o processo de blendagem, onde se compõe a mistura dos diferentes resíduos, e são formadas pilhas onde ocorrerá a degradação. As pilhas são revolvidas e monitoradas para promoverem a compostagem de forma homogênea.

Após a estabilização, o material segue para peneiramento e, mediante aprovação das análises de controle de qualidade, o produto final segue para aplicação nas mais diversas culturas agrícolas.


Quais resíduos podem ser compostados? 

Podem ser encaminhados para a compostagem diversos tipo de resíduos orgânicos, provenientes de indústrias ou residências. Alguns exemplos são: podas de árvores e de jardim, restos de alimentos e hortifrutigranjeiros, lodos de estações de tratamento, cavaco e cascas de árvores, cinzas de caldeiras, dentre outros.

Cada resíduo é avaliado quanto ao seu potencial de agregar nutrientes no composto orgânico a ser produzido, e é realizada a mistura desses materiais de acordo com a necessidade dos microrganismos presentes no processo. 

Acesse o site e conheça mais detalhes do empreendimento: www.organozero.com.br 

Link
Notícias Relacionadas »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Fale com NCG News!