31/03/2021 às 11h42min - Atualizada em 31/03/2021 às 11h42min

Apoiadores de Bolsonaro em PG homenageiam intervenção militar de 31 de março

Manifestantes alegam que militares promoveram a modernização do Brasil e salvaram o país do comunismo

Da redação
Foto: Reprodução / Facebook
Se você não faltou às aulas de História, deve saber que no dia 31 de março de 1964 teve início a intervenção civil-militar que pôs fim ao governo do então presidente João Goulart (1961-1964) e instaurou o chamado “regime militar”, que durou até o ano de 1985. 

Um grupo de apoiadores ponta-grossenses do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) marcou para esta quarta-feira (31) uma carreata em homenagem à data. Os participantes vão se reunir às 17h em frente ao quartel do 13.º Batalhão de Infantaria Blindado (13.º BIB), no bairro de Uvaranas.

Manifestantes de outro grupo também planejam se reunir, às 15h, em frente ao comando da 5.ª Brigada de Cavalaria Blindada, na praça Marechal Floriano Peixoto, no Centro.

Contragolpe 

De acordo com um dos organizadores do ato das 17h, Beto Okazaki, o motivo da homenagem reside no fato de os militares terem, segundo ele, livrado o Brasil da “terrível política comunista”. “Vamos homenagear os nossos militares que, diante de um golpe comunista, atenderam ao apelo do povo que foi às ruas e deram um contragolpe, livrando o Brasil da terrível política comunista”, explica. 

Na visão de um dos organizadores do ato das 15h, o 31 de março de 1964 foi responsável por dar início ao que ele chama de “Brasil moderno”. “O dia pode ser comemorado como o dia do Brasil moderno. Temos que reverenciá-lo”, afirma. 

Ação social 

Os organizadores da manifestação das 17h pedem que os participantes levem um quilo de alimento, que será distribuído em cestas básicas para pessoas prejudicadas pela pandemia de COVID-19. 

Confira o convite que está sendo compartilhado nas redes sociais: 



 
Notícias Relacionadas »