01/04/2021 às 08h28min - Atualizada em 01/04/2021 às 08h28min

Comissão de Agricultura aprova dois requerimentos da deputada Aline Sleutjes

Um dos requerimentos trata de discussão sobre criminalidade e segurança no campo

Da assessoria
Foto: Divulgação
A Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados realizou nesta quarta-feira, 31 de março, sua quarta sessão legislativa ordinária. A comissão, presidida pela deputada pelo Paraná Aline Sleutjes, aprovou por unanimidade os requerimentos de sua autoria. 

O primeiro requerimento trata-se de audiência pública para discutir sobre a Criminalidade e Segurança no Campo. “Queremos avançar neste tema. Vamos aprofundar as experiências positivas nos estados que tem políticas eficientes na questão da segurança rural. Sabemos que o homem e a mulher do campo têm sofrido com a questão da criminalidade. Temos que criar mecanismos para que eles se sintam mais seguros em suas propriedades”, destacou.

Já o segundo requerimento aprovado é o da realização de Audiência Pública para discussão do tema: Reavaliação do uso do Paraquat bem como suas medidas de mitigação. A deputada defendeu em sua fala a aprovação do requerimento. “Nós sabemos que esse é um tema muito importante que está sendo tratado inclusive pelo STF. Estamos sugerindo que a audiência seja em conjunto na Câmara e Senado, para que desta forma possamos trazer um número maior de especialistas, ligados a pesquisa, ao desenvolvimento. Dessa forma falaremos com propriedade desse tema tão importante para o agro nacional. Também é necessário viabilizar a votação no Senado e que se faça essa audiência no Senado também, onde devido ao regimento da casa, não temos limitação de participantes. Com isso, vamos fazer um debate de alto nível para trazer esclarecimentos subsidiando inclusive o debate da defesa desse produto junto ao Supremo”, finalizou. 

Na sessão desta quarta-feira, outros sete requerimentos foram aprovados, além de duas mensagens do Poder Executivo, que trata sobre aquisição de imóveis situado no município de Cantagalo, estado de Minas Gerais, com área de 215,1407 hectares, pela Celulose Nipo-Brasileira S.A. - CENIBRA, empresa brasileira equiparada a estrangeira, de conformidade com a Exposição de Motivos da Senhora Ministra de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Notícias Relacionadas »